Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Mãe Para Toda Obra Blog da jornalista Fabiana Futema traz notícias e reflexões sobre o mundo materno, primeira infância e dilemas femininos. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Respeite a decisão da mãe que não quer visitas na maternidade

Os primeiros dias (ou meses) após o parto são um momento importantíssimo para os pais conhecerem o bebê que acabou de chegar

Por Fabiana Futema - 19 out 2017, 09h01

Pode soar estranho para alguns, mas não tem nada demais uma mãe não querer receber visitas na maternidade ou em casa. Os primeiros dias (ou meses) após o parto são um momento importantíssimo para os pais conhecerem o bebê que acabou de chegar.

Tudo é novidade. A mulher está aprendendo a ser mãe, a dar de mamar, está exausta com uma sequência de noites mal dormidas.  A criança chora, não fala e os pais não sabem ao certo qual o motivo do desconforto.

Além disso, a mulher enfrenta todas as transformações físicas, emocionais e hormonais do puerpério – período que costuma durar até 45 dias após o parto, mas pode variar. Então nada mais justo, se essa for a opção daquele núcleo familiar, do que enfrentar esse período longe das visitas.

Por mais bem-intencionadas que as visitas sejam, exige da nova família um tempo para se preparar – tomar um banho e pentear o cabelo ao menos – e servir um café. E por mais que o horário da visita seja comercial, não sabemos como está a rotina da família. De repente, o amigo ou parente chega bem na hora em que o bebê dormiu e a mãe poderia dar uma cochiladinha – mas agora vai ter que fazer sala.

Publicidade

“É uma escolha individual. O bebê precisa de amor, disponibilidade e nutrição. O importante é respeitarmos as necessidades do bebê e cuidarmos dos pais, assim eles podem dizer o que é melhor para eles, e logo, também para o bebê”, afirma a doula Janie de Paula.

Como dizer aos amigos e parentes que não quer recebê-los sem ofender e magoar? Cabe aos pais a tarefa. “Somos responsáveis por contar qual é o nosso limite. Se tornar mãe é um grande exercício de conseguir dizer para o mundo o que é melhor para si mesma e para seus filhos”, afirma a doula.

Mas Janie admite que nem todos entendem a decisão. “Acho compreensível se chatear. A família também se emociona e quer conhecer o bebê.”

Para evitar situações constrangedoras, os amigos e familiares podem perguntar aos recém-pais se vão querer visitas ao bebê. “Vale fazer uma pergunta sincera: quando você quiser minha visita, me avise e vou. Diga para avisar se precisar de algo que você leva. Podemos jogar fora o que se julga bem-educado socialmente e descobrir o que a mulher realmente prefere.”

Publicidade

Etiqueta da visita

Se os novos pais são do tipo que curtem visitas – sim, elas são boas companhias e continuam amadas -, aconselha-se que os convidados mesmo assim respeitem os limites da família.

“A mãe está com o corpo em um processo intenso de adaptação e reorganização, aprendendo a amamentar, conhecendo o bebê, é importante que ela não tenha que cuidar das visitas”, diz a doula Janie de Paula.

Outra recomendação: tem mãe que não gosta que os convidados segurem o bebê, enquanto outras não se importam. Respeite isso.

“É bom que a mãe não tenha que ficar pedindo o bebê de volta. Cada família vai descobrindo, aos poucos, a melhor maneira de cuidar do bebê”, afirma a doula.

Publicidade