Clique e assine a partir de 9,90/mês
Lillian Witte Fibe Por Blog Política, economia e outros temas do momento. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Marina insiste no São Francisco. É direito dela.

A candidata perde a chance de mencionar incêndios ou doenças respiratórias que assustam cada vez mais a população.É a única ali preocupada c/ meio ambiente.

Por Lillian Witte Fibe - Atualizado em 10 Aug 2018, 15h51 - Publicado em 10 Aug 2018, 13h26

Assim como Alckmin, Marina Silva tem prática de debate. Do alto de quem continua a ter um caminhão de votos mesmo sem exposição na mídia, persiste em ser ela mesma.
Ponto.
De fato, conquistou isso.
Só que não se parte para uma briga desse tamanho sem levar em conta algumas regrinhas básicas de comunicação.
Não era o momento de falar no São Francisco, por mais importante que isso seja.
O Brasil vê todo dia na televisão que o planeta está pegando fogo.
Pesquisas sobre o fato de estarmos respirando um ar tão cancerígeno quanto a fumaça de cigarro acabam de sair.
Será que isso não ilustra melhor para o eleitor que ela quer conquistar o tamanho do problema do meio ambiente, ignorado por todos entre todos os outros?
Se não me engano, foi ela que falou, mas só de passagem, que agrotóxico não é remédio, ao contrário do que professou outro dia o candidato médico que concorre com ela.

Veja também:

Alckmin esbanjou prática. Tudo igual.

Cabo Daciolo, o tempero da noite

Boulos, de longe o melhor

Álvaro Dias, o prêmio de pior da noite

Continua após a publicidade

Bolsonaro começa muito nervoso

Ciro Gomes riu

Pobre bilionário Henrique Meirelles

Publicidade