Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As recomendações para saúde dos cabelos e do couro cabeludo

Veja algumas dicas para manter o cabelo saudável, macio e bonito

Hoje trago um assunto que costuma ser frequente no consultório por conta de diversas dúvidas — principalmente — das mulheres: os cabelos. Será que você está cuidando corretamente dos seus? Acompanhe algumas recomendações — do que fazer e não fazer.

1. Aplicar xampu no comprimento dos fios

As fórmulas dos xampus possuem componentes detergentes que ajudam a limpar o fio e retirar o excesso de oleosidade. O problema é que as pontas já têm pouca oleosidade naturalmente e, em contato com o produto, podem ficar ainda mais ressecadas.

Concentre a lavagem no couro cabeludo e deixe a espuma escorrer pelas pontas, assim você retira as impurezas sem agredir o cabelo.

2. Deixar o condicionador chegar ao couro cabeludo

O erro é comum principalmente em quem tem cabelo mais curto, pois ele pode obstruir a raiz dos fios podendo causar uma série de danos como queda e caspa. Como o condicionador deve ser aplicado somente no comprimento e pontas, evite usar em excesso. Retire o excesso de água dos fios e vá aplicando aos poucos, mecha por mecha.  

3. Hidratação capilar

A máscara de hidratação é recomendada, sim! Embora o condicionador deixe os fios mais macios e desembaraçados, ele não consegue repor todos os nutrientes necessários. A máscara tem a ação mais intensa e atua dando mais força, maciez e brilho. Use-a no comprimento e pontas, sendo recomendado uma vez a cada 15 dias.

A máscara apresentava bons resultados nas primeiras aplicações e depois parou de fazer efeito e até deixou seu cabelo pesado? O que acontece é que o seu fio também pode ficar saturado de um certo tipo de nutriente.

O recomendado é alternar entre uma máscara reconstrutora e outra nutritiva. A primeira ajuda a deixar o cabelo firme e forte, mas em excesso pode deixá-lo “endurecido”. Já a segunda, ajuda no brilho e maciez, mas se for usada com muita frequência, pode deixar o fio pesado e opaco.

4. Deixar resíduos de produtos no couro cabeludo e fios

Não retirar integralmente os produtos na lavagem pode ser prejudicial não só à aparência dos fios, que ficam opacos e sem movimento mas também à sua saúde. Ficar com resíduos de produto no cabelo muito tempo pode causar alergias no couro cabeludo. Além disso, você corre o risco de “queimar” o cabelo fazendo chapinha — alguns produtos podem ter seu efeito potencializado com a ação do calor. Enxágue bem e, se necessário, use um pente de dentes largos para ajudar no processo.

Veja também

5. Lavar todo dia faz mal?

Na verdade, não existe um número correto ou perfeito de vezes que se deve lavar o cabelo, que se aplique a todas as pessoas. A frequência de lavagens deve depender dos seguintes fatores:

1) Tipo de cabelo e couro cabeludo: cabelos secos pedem menos lavagens com hidratação mais poderosa, enquanto os oleosos precisam de limpeza mais frequente para retirar o excesso de lipídios e resíduos produzidos pelo corpo ou acumulado por fatores externos.

2) Clima: em regiões praianas e de clima mais quente, o cabelo precisa de mais cuidados e lavagens mais frequentes, porque acumula mais danos.

3) Estilo de penteado: se você utiliza muitos produtos para modelagem dos cabelos, como géis, sprays ou pomadas, cujas substâncias deixam resíduos fortes, deve lavar seu cabelo com maior frequência, idealmente sempre após aplicação.

4) Estilo de vida: quem pratica esportes ou atividades ao ar livre deve lavar o cabelo diariamente — ou quando realizar estas atividades — para retirar as substâncias externas e excesso de oleosidade que se acumulam e também proteger, hidratar e reparar contra os danos do sol, cloro, elásticos de cabelo, entre outros.

Ainda que sua situação não se aplique aos casos acima, pesquisas científicas comprovam que não há nenhum problema em lavar o cabelo todos os dias, desde que se apliquem produtos de qualidade (para evitar resíduos de ingredientes prejudiciais) e não utilize água muito quente (que prejudica a saúde da pele e do couro cabeludo).

6. Pentear o cabelo molhado

Um dos erros mais comuns é, provavelmente, a maneira de pentear. É frequente logo depois de lavar o cabelo, desembaraçar com um pente ou escova. No entanto, você pode involuntariamente arrancar muitos fios sensíveis quando a escova fica presa nos nós.

Recomendação: escove bem o cabelo antes de tomar banho. Desta forma, você evitará que ele embarace ainda mais durante a lavagem.

7. Temperatura da água

Cuidado com os banhos quentes! Claro que é agradável tomar um banho quentinho e relaxante depois de um dia duro de trabalho, mas quando se trata do cabelo, a atenção sobre a temperatura ideal deve ser cuidadosa. A temperatura da água mais quente não tem a propriedade de higienizar mais o cabelo e, a longo prazo, pode deixar os fios frágeis e secos.

Recomendação: use água morna. Um último enxágue com água fria no final do banho colabora para que os poros do couro cabeludo fechem. Seu cabelo agradecerá, melhorando brilho e promovendo uma textura suave.

8. Enrolar o cabelo com uma toalha

Normalmente, após o banho, é comum querer secar o cabelo o mais rápido possível.

Recomendação: depois da lavagem, comprima suavemente seu cabelo um pouco com as mãos primeiro. Em seguida, retire a umidade com uma toalha de algodão fazendo um pouco de pressão. Em seguida, coloque a toalha como um turbante e deixe seu cabelo secar por 10 minutos, embora seja melhor secar o cabelo ao ar livre. Se você não tiver tempo para fazer isso, escolha um produto (recomendado pelo seu dermatologista) para proteger o cabelo antes de usar o secador.

A melhor conduta depende do seu tipo de fio e couro cabeludo, consulte sempre seu dermatologista!

 

A dermatologista Adriana Vilarinho

 

Quem faz Letra de Médico

Adilson Costa, dermatologista
Adriana Vilarinho, dermatologista
Ana Claudia Arantes, geriatra
Antonio Carlos do Nascimento, endocrinologista
Antônio Frasson, mastologista
Artur Timerman, infectologista
Arthur Cukiert, neurologista
Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião
Bernardo Garicochea, oncologista
Claudia Cozer Kalil, endocrinologista
Claudio Lottenberg, oftalmologista
Daniel Magnoni, nutrólogo
David Uip, infectologista
Edson Borges, especialista em reprodução assistida
Fernando Maluf, oncologista
Freddy Eliaschewitz, endocrinologista
Jardis Volpi, dermatologista
José Alexandre Crippa, psiquiatra
Ludhmila Hajjar, intensivista
Luiz Rohde, psiquiatra
Luiz Kowalski, oncologista
Marcus Vinicius Bolivar Malachias, cardiologista
Marianne Pinotti, ginecologista
Mauro Fisberg, pediatra
Miguel Srougi, urologista
Paulo Hoff, oncologista
Paulo Zogaib, medico do esporte
Raul Cutait, cirurgião
Roberto Kalil, cardiologista
Ronaldo Laranjeira, psiquiatra
Salmo Raskin, geneticista
Sergio Podgaec, ginecologista
Sergio Simon, oncologista  

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s