Clique e assine com até 92% de desconto
Letra de Médico Por Adriana Dias Lopes Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

Esfoliação da pele: quando e por que fazer o procedimento?

Para cada tipo de pele existe um método e uma frequência de esfoliação adequados

Por Adriana Vilarinho 13 jun 2018, 14h45

O processo de renovação das células da pele acontece naturalmente a cada 30 – 40 dias, o que mantém a espessura, textura e viço da pele adequados. No caso de pele oleosa ou com acne, por exemplo, este processo está alterado e recomenda-se esfoliação como parte da rotina.  Ela é benéfica porque limpa melhor os poros e contribui para regularizar a produção do sebo.

A esfoliação pode ser mecânica ou química. A mais frequentemente realizada em casa é a mecânica, feita com produtos que contêm microesferas esfoliantes ou escovas de cerdas macias. A esfoliação química é feita com produtos contendo alfa-hidroxi -ácidos em forma de gel ou pads e, por ser mais suave, é menos irritativa.

Frequência da esfoliação

A frequência da esfoliação depende de cada tipo de pele. Na pele oleosa é recomendada até uma ou duas vezes por semana. Mais que isso, o processo pode ser prejudicial por alterar a barreira de proteção da pele, causar piora da inflamação e alterar a microbiota da pele.

  • Nas peles sensíveis, com manchas, peles asiáticas ou morenas a esfoliação é permitida, porém com menor frequência. Isso para evitar irritação e piora das manchas.

    No consultório, sob orientação do seu dermatologista – sempre recomendada presencialmente para esfoliação e qualquer assunto relacionado com a pele – existem opções para uma esfoliação mais controlada, homogênea e eficaz.  Ela pode ser feita com microdermoabrasão que são os peelings mecânicos de cristal ou diamante que renovam a pele logo em seguida, ao retirar parte da camada córnea mais superficial da pele. 

    Continua após a publicidade

    Além dos peelings químicos, como aqueles realizados com ácido retinoico, ácido salicílico e ácido glicólico que fazem a pele descamar levemente por 2 a 3 dias depois de realizados. Em combinação deixam a pele ainda mais macia, lisa e viçosa.

     

    A dermatologista Adriana Vilarinho

     

    Quem faz Letra de Médico

    Adilson Costa, dermatologista
    Adriana Vilarinho, dermatologista
    Ana Claudia Arantes, geriatra
    Antonio Carlos do Nascimento, endocrinologista
    Antônio Frasson, mastologista
    Artur Timerman, infectologista
    Arthur Cukiert, neurologista
    Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião
    Bernardo Garicochea, oncologista
    Claudia Cozer Kalil, endocrinologista
    Claudio Lottenberg, oftalmologista
    Daniel Magnoni, nutrólogo
    David Uip, infectologista
    Edson Borges, especialista em reprodução assistida
    Fernando Maluf, oncologista
    Freddy Eliaschewitz, endocrinologista
    Jardis Volpi, dermatologista
    José Alexandre Crippa, psiquiatra
    Ludhmila Hajjar, intensivista
    Luiz Rohde, psiquiatra
    Luiz Kowalski, oncologista
    Marcus Vinicius Bolivar Malachias, cardiologista
    Marianne Pinotti, ginecologista
    Mauro Fisberg, pediatra
    Miguel Srougi, urologista
    Paulo Hoff, oncologista
    Paulo Zogaib, medico do esporte
    Raul Cutait, cirurgião
    Roberto Kalil, cardiologista
    Ronaldo Laranjeira, psiquiatra
    Salmo Raskin, geneticista
    Sergio Podgaec, ginecologista
    Sergio Simon, oncologista  

    Continua após a publicidade
    Publicidade