Clique e assine a partir de 8,90/mês
Letra de Médico Por Adriana Dias Lopes Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

Descasque mais e desembale menos

Ou seja: consuma alimentos mais saudáveis e reduza os processados. A quarentena é uma boa oportunidade para mudar os hábitos ruins à mesa

Por Eduardo Rauen - Atualizado em 12 jun 2020, 18h00 - Publicado em 12 jun 2020, 12h04
Eduardo Rauen
VEJA/VEJA

Em tempos de pandemia decretada em todo o mundo pela Organização Mundial de Saúde, várias são as questões levantadas diariamente pelos noticiários, redes sociais, e especialmente pelos profissionais de saúde sobre as informações acerca da Covid -19, o novo coronavírus. Um assunto corriqueiro, principalmente entre as pessoas que estão em casa respeitando a chamada quarentena, é a questão inerente à alimentação.

As pessoas saíram de suas rotinas e, com isso, mudanças de hábitos alimentares estão sendo questões difíceis de serem controladas.
Filhos em casa realizando atividades escolares online; mães sendo professoras e profissionais ao mesmo tempo; pais trabalhando home office; preocupações com as incertezas econômicas e profissionais; tudo isso vem sendo somado gerando angústias individuais as quais buscam conforto no alimento.

Esse novo vírus já deixou algumas questões já bem sedimentadas como o modo de infecção e contágio, grupo de risco, sintomas etc, contudo, muitas coisas ainda são uma incógnita para essa nova virose. Mas uma coisa é unânime: um indivíduo saudável é capaz de enfrentar essa doença com muito mais capacidade de resposta positiva ao vírus.

Mas quando falamos em indivíduo saudável, pensamos em quatro pilares importantes para o enfrentamento de qualquer doença, em especial a que estamos nos deparando nesse momento: dormir bem, gerenciar o stress, praticar exercício físico e ter uma alimentação balanceada e saudável.
Todos esses pilares que suportam o peso da carga que estamos vivendo atualmente, precisam de uma estrutura sólida para que não haja o desabamento de toda uma estrutura única, qual seja, o estado emocional e físico do paciente/indivíduo/ser humano. No entanto, o pilar da alimentação balanceada vem sendo afetado de forma deliberada pois essa sabotagem vem sendo realizada de forma consciente por nós mesmos.

LEIA TAMBÉM: Mãos à horta: como cultivar ervas, temperos e outras plantas em casa

Ao contrário da questão psicológica, comer bem e realizar o exercício físico, é algo que somente nós podemos fazer por nós mesmos, pois o psicológico sofre uma influência externa muitas vezes de forma tão severa (notícias ruins, etc) que fica impossível o controle mental. Já, a alimentação pode ser sim controlada por nós e de forma consciente.

Quando usamos a frase “descasque mais e desembale menos”, queremos nos referir ao consumo de alimentos mais saudáveis do que o consumo de alimentos processados. Isso significa ingerir mais frutas as quais são fontes de vitaminas, consumir mais alimentos in natura, como verduras e legumes, assim como evitar o consumo de alimentos industrializados, como os refrigerantes, embutidos, empacotados (biscoitos etc), e farinhas brancas.

Continua após a publicidade

O alimento tem o poder de trazer junto com ele o conforto e o consolo para horas ruins, mas também para horas de alegria, como comemoração de aniversários e eventos importantes. Porém, muitas vezes o alimento escolhido nessas horas não é o mais adequado para a saúde, pois vem acompanhado de muito açúcar e calorias.

Mas nos momentos difíceis, como o confinamento em casa, a distância da cozinha ao quarto ficou muito menor.

E o aumento do consumo de alimentos mais calóricos se contrapõe à diminuição do gasto calórico pois estamos “confinados”, e gastando pouca energia.

Juntamente a isso, estamos nos alimentando mal. Estamos “engordando”, e é sabido que o sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para essa doença. A obesidade traz com ela a hipertensão e o diabetes, ambos fatores de risco. Sabendo disso o que podemos fazer? MUDAR O HÁBITO!

Essa é a resposta! É difícil? Sim, muito! Mas não há outra forma a não ser MUDAR!

Estamos ainda a espera de uma vacina, de um remédio capaz de estancar esse problema. Mas enquanto aguardamos, porque não pensar nos cuidados que devemos ter com a nossa saúde?  Pensar o que nos limitará daqui a 30 anos… será o joelho, pois o peso está afetando as articulações? Será o coração, pois o infarto acometeu parte desse órgão haja vista o entupimento das artérias por conta do excesso de gordura.

Não há alimento milagroso nem vitaminas que devemos ingerir para se evitar o contágio por esse novo vírus. Mas o movimento de descascar mais e desembalar menos pode ser sim um passo muito importante para nos mantermos mais saudáveis a ponto de combater o vírus com um sistema imunológico muito mais eficaz e pronto a responder a qualquer infecção viral.

Continua após a publicidade
Publicidade