Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Letra de Médico Por Adriana Dias Lopes Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

A novidade tecnológica para o ganho muscular

Um equipamento de última geração mostrou-se capaz de construir músculos sem afetar a pele do corpo

Por Eduardo Rauen Atualizado em 29 jan 2021, 12h42 - Publicado em 29 jan 2021, 12h30

A preocupação no cuidado com a massa muscular é válida sempre, já sabemos que ela vai muito além de questões estéticas e ganha relevância em algumas fases, afetando a saúde, a prevenção de doenças e a expectativa de vida.

Nessa quarentena, vimos muita gente perder massa muscular. Mesmo pessoas saudáveis que praticam exercícios ficaram sem as academias e reduziram os treinos.

Isso sem falar em casos mais específicos que merecem atenção redobrada. Mulheres na menopausa e idosos, por exemplo, precisam enfrentar com maior atenção a perda da massa muscular, que reduz a força, a mobilidade e a qualidade de vida. Fica mais difícil fazer as tarefas rotineiras sem a musculatura adequada e há um agravante: essa perda diminui o metabolismo, provocando aumento de gordura abdominal e ganho de peso. Estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP) concluiu que mulheres idosas com pouca massa muscular podem ter até 63 vezes mais risco de morrer; nos homens com essa condição, a mortalidade pode ser 11,4 vezes maior.

Nesse ano, esse problema foi mais acentuado para todas as faixas etárias, de adolescentes aos idosos. Sem dó nem piedade. Menos exercícios, mais sedentarismo e menos cuidado com alimentação.

Mas desta vez a tecnologia nos trouxe uma boa notícia, no momento certo para ajudar a recuperar uma parte do treino perdido. A novidade é um aparelho já disponibilizado em algumas clínicas no país focado na construção de músculos, uma inovação em meio aos equipamentos estéticos voltados a aspectos como gordura localizada e celulite.

Ele ajuda a obter hipertrofia e hiperplasia muscular, com contrações musculares supramáximas produzidas com energia focada, que chega a induzir 20 mil contrações em uma sessão de apenas meia hora. Ou seja, produz muito estímulo muscular em pouco tempo.

Continua após a publicidade

Além do número de contrações, contribui para o resultado a forma como a musculatura é estimulada: a pele não é afetada, pois a energia interage diretamente com o nervo motor. Junto com a contração das fibras musculares abdominais há uma reação metabólica nas células de gordura, que além de promover a hipertrofia e a hiperplasia provoca ruptura de gordura. O aparelho deve ser utilizado com a supervisão de um profissional da saúde.

A ideia não é substituir a prática de atividade física e de musculação, mas amplificar os ganhos de massa, podendo ser um importante aliado para uma ampla gama de pacientes, garantindo resultados mais satisfatórios. A atuação do aparelho ajuda ainda pessoas sedentárias e as que têm maior dificuldade de conseguir definir os músculos. A tecnologia também pode proporcionar ganho de força e resistência a atletas, com reforço muscular que possibilita melhora na performance e redução de lesões. Para os idosos, a recuperação da massa muscular afeta diretamente o dia a dia de forma muito positiva. Pode fazer com que as dores diminuam, quedas e fratura sejam menos frequentes e haja uma melhora da mobilidade.

Acompanhando os avanços para o organismo vêm as vantagens estéticas, contribuindo para a saúde emocional e autoestima. É uma nova ferramenta interessante, por exemplo, para aquelas pessoas que eram obesas ou estavam muito acima do peso e precisam de mais tônus.

Outro diferencial é que a aplicação pode ser feita em diversas partes do corpo, com protocolos para arredondar glúteos, ajudar a secar e definir barriga, definir panturrilhas, bíceps e tríceps. O benefício em comparação com a musculação é realizar estímulo potente e extremo, mas sem fadiga qualquer e desconforto, trazendo um resultado efetivo e reduzindo o risco de lesões.

Vale lembrar que não basta usar a tecnologia. É fundamental cuidar da alimentação, investir em hábitos saudáveis, se hidratar adequadamente para que não apenas essa, mas as demais novas tecnologias que estão surgindo possam ter um efeito até melhor. O ideal é que este seja um complemento na busca por mais saúde e longevidade, porém que não ocupe o lugar indispensável do exercício físico.

A conquista de um corpo com boa definição muscular, por questões estéticas e de saúde, passa a ter esse aliado para o verão de 2021, e para os muitos verões que virão com uma vida com mais qualidade.

Eduardo Rauen
VEJA/VEJA

 

Continua após a publicidade
Publicidade