Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Rampage – Destruição Total”: uma bobagem sem tamanho

História anêmica, efeitos medianos e vilões péssimos tiram a graça de filme-catástrofe com Dwayne Johnson

Adoro um bom filme-bobagem, com catástrofes ou monstros destruidores. Mas até as bobagens têm que ser honestas e mostrar alguma inspiração ou alegria de fazer – coisas que faltam de maneira dolorosa a Rampage – Destruição Total. Baseado em um videogame dos anos 80, o filme tem Dwayne Johnson no papel de um primatologista muito afeiçoado a George, um gorila albino que ele salvou ainda bebê – e que será uma das três vítimas de um experimento científico clandestino que uma estação espacial despeja na Terra. George, que já era grande (maior ainda que Dwayne), fica enorme, e perde a meiguice, para se tornar proporcionalmente furioso; os outros dois bichos atingidos, no entanto, fazem o gorila gigante parecer pequeno e até dócil. Graças a um truque constrangedoramente ruim, o trio de megacriaturas vai convergir em Chicago, e dá-lhe destruição. Dwayne é mesmo simpático, e tem a ajuda da excelente Naomie Harris (de Piratas do Caribe, 007, Moonlight etc.etc.) para salvar a pátria. Os efeitos especiais são corretos, mas não pense que eles possam provocar “ohhhhs” e “ahhhs” de espanto ou surpresa; falta a eles qualquer coisa que se assemelhe ao senso de escala e à imaginação de, por exemplo, Círculo de Fogo. O roteiro é anêmico, e os vilões interpretados por Malin Akerman e Jake Lacy são um desastre. Por um momento, a aparição de Jeffrey Dean Morgan na história acendeu minhas esperanças – mas elas se apagaram assim que ficou claro, alguns segundos depois, que está fazendo uma imitação de si mesmo como o Negan de The Walking Dead. De modo geral, tudo que o filme poderia ter de divertido e não tem pode ser colocado na conta do diretor Brad Peyton, de Terremoto: Falha de San Andreas (também com Dwayne). Julgando pelo seu trabalho até aqui, os instintos de Peyton são genéricos e derivativos, e não há cena da qual ele não tire a graça e a faísca. Ele não faz filmes; faz veículos pré-fabricados para Dwayne Johnson – que se sairia melhor descolando, urgente, o número de telefone do Roland Emmerich de O Dia Depois de Amanhã.


Trailer

RAMPAGE – DESTRUIÇÃO TOTAL
(Rampage)
Estados Unidos, 2018
Direção: Brad Peyton
Com Dwayne Johnson, Naomie Harris, Jeffrey Dean Morgan, Malin Akerman, Jake Lacy, P.J. Byrne, Joe Manganiello, Jack Quaid
Distribuição: Warner
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s