Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Horas de Desespero

Por Isabela Boscov Atualizado em 11 jan 2017, 16h02 - Publicado em 10 out 2015, 18h56

Corra que os rebeldes vêm aí.

Quando quase toda a renda da indústria de cinema americana era recolhida dentro de casa mesmo, nenhum diretor ou produtor dava a mínima se seu filme iria ofender cidadãos de outras nacionalidades.

Hoje em dia, quando a participação do mercado estrangeiro na renda de um filme chega fácil fácil a 70%, o pessoal ficou cheio de dedos: é tanto o medo do cinema americano de desagradar os compradores de ingressos espalhados pelo mundo que os países “fictícios” se multiplicam nos roteiros. E, por isso, em Horas de Desespero, embora seja evidente que é no Cambodja que o engenheiro Jack (Owen Wilson) está desembarcando com a sua família, o lugar nem nome inventado tem. Só o que se explica é que se está num país de situação política um bocado precária – e pobre, desorganizado e atrasado. Segundo Annie (Lake Bell), a mulher de Jack, nem no Terceiro Mundo eles estão: é no Quarto Mundo mesmo.

divulgação

Logo Annie vai ter mais motivos para arrancar os cabelos do que a falta de ar-condicionado no quarto de hotel: sem saber, a família chegou bem no meio de uma rebelião sangrenta. Bandos de homens armados percorrem as ruas matando todos os estrangeiros. Em especial os americanos. E particularmente os americanos que trabalham para corporações internacionais, como Jack. Toca então catar a mulher e as duas filhas pequenas e sair correndo, tentando sobreviver e mantê-las vivas durante a carnificina.

divulgação

Pierce Brosnan dá uma força para Jack e também para o filme, deitando e rolando no papel de um desses ingleses com cara de devassos que já aprontaram por tudo quando é lugar do mundo pós-colonial. E o diretor John Erick Dowdle, que se treinou em terrores hipercinéticos como Quarentena e Assim na Terra Como no Inferno, faz essa fuga contínua rolar com tanta rapidez e desembaraço que o espectador vê, sim, os rombos no roteiro – mas só de relance, porque no segundo seguinte o filme já está em outro lugar. Bobagem, como se sabe, é um dos grupos alimentares que compõem uma dieta cinematográfica equilibrada. E esta aqui tem seu sabor.


Trailer


HORAS DE DESESPERO
(No Escape)
Estados Unidos, 2015
Direção: John Erick Dowdle
Com Owen Wilson, Pierce Brosnan, Lake Bell, Sterling Jerins, Claire Gear, Sahajak Boonthanakit
Distribuição: Diamond
Continua após a publicidade
Publicidade