Clique e assine a partir de 9,90/mês
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

“Esquadrão 6”, da Netflix, é um programão para quem curte enxaqueca

Filme dirigido pelo Michael Bay de “Transformers” e estrelado por Ryan Reynolds tem muito barulho em história sem pé nem muito menos cabeça

Por Isabela Boscov - 14 dez 2019, 18h46

Quando faz seus inumeráveis Transformers, Michael Bay tem de prestar satisfação ao estúdio, à fabricante de brinquedos Hasbro e a produtores como Steven Spielberg (que, mostrando que tem mesmo jeito para lidar com crianças, conseguiu que Bay fizesse do primeiro filme da série algo quase gracioso) – e, claro, tem a seu favor o charme dos transformers muito bem executados por uma equipe de efeitos que a esta altura é perita no negócio. Mas Esquadrão 6, que acaba de estrear na Netflix, é Michael Bay com a trela solta, e isso é um perigo. A história – maneira de dizer – trata de aventureiros que morrem no papel para poder caçar criminosos que seriam inatingíveis pelas vias legais, como ditadores genocidas. O visual é de crise epiléptica agravada por choques elétricos: no interminável merchandising da Alfa Romeo que abre o filme, demorei para perceber que era Dave Franco quem estava ao volante, e que Mélanie Laurent, de Bastardos Inglórios, era a loira do banco de trás, porque a câmera não para em lugar nenhum por mais de dois ou três segundos de cada vez, e a montagem corta esse tempo pela metade. E, pelas duas horas seguintes, é só mais do mesmo: carros e caminhões viram metal retorcido, ruas e edifícios são destruídos e corpos são feitos em pedaços, enquanto a cacofonia da trilha de efeitos e os diálogos ruins fazem os ouvidos sangrar.

Esquadrão 6
Netflix/Divulgação

Imagino que Bay pague bons cachês; certamente não é pela gratificação artística que Mélanie Laurent, ou o fantástico Payman Maadi, do iraniano A Separação, ou ainda Lior Raz, o criador/protagonista da série israelense Fauda, estão nessa. O próprio Bay deve estar feliz da vida, porque está tendo a chance de ver se cola apresentar como “moderno” tudo de mais irritante que ele já havia feito 24 anos atrás, em Bad Boys. A dúvida, porém, é: por que o já muito bem pago Ryan Reynolds está ali, desperdiçando o cacife que ele conquistou com tanto cuidado em uma versão saldão dos maneirismos de Deadpool? Reynolds é ótimo como Deadpool, e é capaz de muitas coisas mais além dele. Mas, nessa toada, ele acaba virando o tipo de paródia que não tem graça nenhuma – a paródia de si mesmo.


Trailer

ESQUADRÃO 6
(6 Underground)
Estados Unidos, 2019
Direção: Michael Bay
Com Ryan Reynolds, Mélanie Laurent, Manuel Garcia-Rulfo, Ben Hardy, Adria Arjona, Lior Raz, Dave Franco, Payman Maadi, Corey Hawkins
Onde: na Netflix
Publicidade