Clique e assine a partir de 8,90/mês
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

“Buscando…”: um pai atrás das pegadas digitais de sua filha

Drama com John Cho finalmente dá uma razão de ser ao filme feito apenas com imagens de telas de computador e smartphones

Por Isabela Boscov - Atualizado em 24 out 2018, 14h44 - Publicado em 20 set 2018, 16h42

Se em filmes como Amizade Desfeita o desenrolar todo em telas de computador e smartphones é um mero truque, em Buscando…, do diretor estreante Aneesh Chaganty, ele é o centro e a razão de ser da história: como o pai que procura desesperadamente por sua filha desaparecida, John Cho não tem remédio a não ser seguir as pegadas que ela deixou no mundo virtual – que é onde adolescentes como Margot (Michelle La) vivem a maior parte de sua vida. Desde a ótima sequência inicial, que resume por meio de vídeos, emails e anotações de calendário a trajetória da família Kim, do nascimento de Margot até a perda da mãe, Chaganty usa a tecnologia com inteligência e muita propriedade; nunca um grupo de personagens foi tão bem desenvolvido com esses recursos tão breves. Cho, que despontou fazendo com Kal Penn a dupla Harold & Kumar (e é o Sr. Sulu de Star Trek), se mostra discreto e eficaz como o pai que descobre dimensões insuspeitas na filha que ele julgava conhecer tão bem – e, na busca por ela, desenvolve um relacionamento intenso (e de rumos inesperados) com a detetive encarregada do caso, interpretada por Debra Messing. Enxuto e dinâmico sem descuidar da carga emocional, é um acerto tão redondo que, à moda do pioneiro da found footage, A Bruxa de Blair, deve gerar uma leva de imitadores que dificilmente farão jus ao seu modelo.

Assista aqui o video com a resenha:

Publicidade