Clique e assine com até 92% de desconto
Impacto Por Jennifer Ann Thomas Respirou, causou. Toda e qualquer ação transforma o mundo ao nosso redor.

Vídeo: funcionários de hospital de campanha ignoram normas de segurança

Em Manacapuru, no Amazonas, profissionais de saúde entraram e saíram de áreas contaminadas sem descartar corretamente os EPIs

Por Jennifer Ann Thomas 20 Maio 2020, 18h01

Somente no Amazonas, os casos confirmados de Covid-19 chegaram a 22.132. O estado foi o primeiro no Brasil a sentir o colapso do sistema de saúde. De acordo com o boletim da Fundação em Vigilância da Saúde do Amazonas (FAS-AM) do dia 19, terça-feira, o total de mortes chegou a 1.491, com 22 novos óbitos em 24 horas. Depois de Manaus, que concentra 11.051 casos, o município com a maior incidência da doença é Manacapuru, com 1.540 casos. O município fica a 84 quilômetros da capital e, segundo estimativas do IBGE de 2019, tem 97.377 habitantes.  

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine

No dia 10 de maio, domingo de Dia das Mães, foram flagrados diversos funcionários do Hospital de Campanha de Manacapuru circulando entre locais públicos com toda a paramentação utilizada dentro de áreas contaminadas pelo coronavírus. Moradores da cidade relataram que a prática é comum, acontece diariamente, inclusive em dias mais movimentados nas redondezas do hospital. Inaugurado no dia 16 de abril, o hospital de campanha fica localizado em frente ao Hospital Municipal Lázaro Reis. O tráfego entre um edifício e outro é constante. Ao lado do hospital de campanha, uma farmácia também funciona como lanchonete, e se tornou um local bastante frequentado pelos profissionais de saúde.

As imagens foram mostradas a um especialista em gestão ambiental e consultor na área de meio ambiente, saneamento e resíduos sólidos para avaliar o comportamento dos profissionais de saúde. O comportamento pode ser um fator que eleva o risco de contaminação da população em Manacapuru.

Continua após a publicidade
Publicidade