Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Headlines Por Blog Histórias que ganharam as manchetes pelo mundo

Funcionário critica chefe por e-mail – com 2.000 colegas em cópia

Na mensagem enviada a todos os 2.000 funcionários da empresa, Michael Stuban desabafou sobre todos os seus descontentamentos

Por Da redação Atualizado em 17 dez 2016, 16h00 - Publicado em 17 dez 2016, 09h00

O americano Michael Stuban aproveitou o último dia de trabalho antes da aposentadoria para lavar roupa suja em público: enviou um e-mail a todos os 2.000 funcionários com duras críticas à companhia, no Estado americano da Pensilvânia. O homem de 58 anos decidiu usar a mensagem para expor todo seu descontentamento após 35 anos de trabalho na Comissão de Pedágios da Pensilvânia, uma empresa que opera as rodovias locais.

O e-mail, na verdade, era a resposta do questionário de desligamento e avaliação da empresa. Ao invés de enviar o formulário apenas para o departamento de Recursos Humanos, Michael decidiu desabafar com todos os seus colegas de trabalho. “Eu realmente não queria me aposentar ainda”, escreveu. “Eu gosto do meu trabalho. Os primeiros trinta anos foram ótimos, mas os últimos cinco anos foram terríveis.”

“Nos dão aulas dizendo que não somos políticos. Isso é bobagem. As promoções são dadas por políticos. É tudo sobre quem você conhece, e não sobre o que você sabe”, avaliou Michael. “As funções são criadas para pessoas sem qualificação. Preferem trazer gente de fora sem qualificação a promover quem já está aqui”, completou.

Stuban também afirmou que a comunicação entre os executivos e os funcionários da empresa é péssima e que os chefes só pensam neles mesmos. “Tudo é segredo de Estado. Os funcionários trabalham no escuro”, disse.

O e-mail não foi bem recebido pela direção da empresa. O presidente, Sean Logan, respondeu a mensagem e também colocou os 2.000 funcionários em cópia: “Sr. Stuban, acho que não nos conhecemos e, depois de ler seu e-mail, agradeço por isso”, escreveu, antes de desejar “boa sorte” na aposentadoria.

Logan falou ao jornal Penn Live e criticou a forma escolhida por Michael para comunicar suas críticas e sugestões. “Eu adoraria receber essas críticas de forma mais construtiva porque elas realmente nos fazem pensar”, disse. “Eu deveria ter me comunicado com mais frequência com meus funcionários? Esse é um questionamento válido”, completou.

Michael Stuban agora vai fazer trabalho voluntário na igreja em que frequenta e afirmou à imprensa que pretende viajar bastante.

Continua após a publicidade
Publicidade