Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Vídeo sensacional contra o esquerdismo da mídia

Comercial de Ted Cruz explora resposta arrebatora do candidato no debate republicano

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 00h12 - Publicado em 30 out 2015, 17h08
Captura de Tela 2015-10-30 às 18.07.30

Assista ao vídeo no fim deste post

A equipe de Ted Cruz divulgou na tarde desta sexta-feira um vídeo sensacional de campanha que explora o melhor momento do terceiro debate entre pré-candidatos republicanos à presidência dos Estados Unidos, realizado na quarta-feira:

Aquele em que o senador do Texas, de 44 anos, detona os moderadores da emissora CNBC por estarem mais interessados em atacar os candidatos e criar controvérsias entre eles do que em abordar as questões de fundo que preocupam os cidadãos americanos.

“As perguntas que foram feitas até agora neste debate ilustram por que a população americana não confia na mídia”, disparou Cruz, ovacionado em seguida pela plateia.

O senador foi questionado pelos âncoras sobre o recente acordo entre republicanos e democratas que permitiu alongar o teto da dívida americana por dois anos, evitando uma nova parada forçada do governo, mas, como as perguntas anteriores aos demais candidatos – reunidas no começo do vídeo – haviam ultrapassado todos os limites do ridículo, ele aproveitou para espinafrar cada uma como exemplo de sua tese impecável.

“Isto não é uma gaiola de luta livre. ‘Donald Trump, você é um vilão de revista em quadrinho?’, ‘Ben Carson, você sabe fazer conta?’, ‘John Kasich, você poderia insultar duas pessoas aqui?’, ‘Marco Rubio, por que você não se demite?’, ‘Jeb Bush, por que seus números caíram (nas pesquisas)?’. Que tal falar das questões substantivas com que as pessoas se preocupam?”

O vídeo de campanha faz então um apanhado dos elogios feitos naquele exato momento por analistas americanos que, assim como eu, comentavam o debate em tempo real no Twitter.

Como faltou o meu, eu acrescento aqui:

Captura de Tela 2015-10-30 às 17.35.21

Em seguida, o analista de pesquisas Frank Luntz acrescenta que a resposta de Ted Cruz teve a melhor repercussão entre espectadores que ele já viu desde que começou a levantar dados de debates em 1996.

Continua após a publicidade

O vídeo prossegue com a continuação da resposta de Cruz:

“Eu ainda não terminei. [É evidente] O contraste com o debate [do Partido] Democrata, no qual cada pergunta bajuladora da mídia foi: ‘qual de vocês é mais bonito e sábio?’ Deixe-me ser claro, os homens e a mulher neste debate têm mais ideias, mais experiência, mais bom senso do que todos os participantes do debate democrata. Aquele debate refletiu um debate entre bolcheviques e mencheviques”, finalizou Cruz, referindo-se às duas facções do movimento revolucionário russo do início do século XX.

O comercial termina com o slogan “Trust Ted” (“Confie em Ted”), que se aglutina na expressão “Trusted”, além do aval deste filho de cubano que, assim como Marco Rubio, filho de pai e mãe cubanos, luta pela tradição de liberdade e prosperidade do país que seus pais escolheram para viver.

Que bom seria se candidatos e comerciais de campanha no Brasil também fizessem a mídia esquerdista cair pelo ridículo. Mas, para isso, seria necessário, primeiro, existirem candidatos não esquerdistas.

Assista a esta preciosidade (* atualização de 8 de novembro: incluí agora a versão legendada).

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=cr8xB1nvrbE?feature=oembed&w=500&h=281%5D

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=UjpmwJDx_0Q?feature=oembed&w=500&h=281%5D

* Tive uma reunião à tarde e terei um casamento nesta noite em local distante, com trânsito de véspera de feriadão, de modo que a produção do blog ficou prejudicada nesta sexta-feira. Mas a reunião foi ótima e poderá trazer bons frutos aos leitores para 2016. Vamos com tudo.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade

Publicidade