Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

VERGONHOSO! Dilma sugere a economista que faça Senai e Pronatec para conseguir emprego. Veja o vídeo

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 02h46 - Publicado em 25 out 2014, 16h07

[* Há pelo menos 300 comentários na fila. A moderação será feita na tarde de domingo.]

Captura de Tela 2014-10-25 às 15.57.25

Dilma estoura o tempo, a razão, a verdade, a educação… e Aécio sorri de tamanha barbaridade.

No debate desta sexta-feira na Globo, a eleitora indecisa Elisabeth Maria, de 55 anos, apresentou-se como uma economista de Fortaleza qualificada profissionalmente, mas que não consegue emprego por conta de sua idade avançada. Perguntou qual é a proposta dos candidatos para que pessoas maduras tenham sua experiência de trabalho valorizada e possam manter sua empregabilidade.

Aécio Neves (PSDB) respondeu que o Brasil precisa voltar a crescer, o que não vem acontecendo no governo de Dilma Rousseff (PT), durante o qual o país se reveza com Venezuela e Argentina nos últimos lugares do ranking de crescimento econômico da América do Sul: “País que não cresce, não gera empregos, principalmente os empregos mais qualificados, nós estamos vendo o desmonte da industrial nacional, ao longo dos últimos quatro anos mais de um milhão de empregos na indústria deixaram de existir e esses são os empregos que pagam melhor para pessoas mais qualificadas como você.”

O tucano reconheceu a qualificação da eleitora tanto na resposta quanto, depois, na tréplica: “A nossa taxa de investimentos hoje é de 16,5% do PIB, já disse anteriormente, a menor da última década, e eu tenho absoluta convicção com clareza das propostas, com respeito às regras, respeito às agências reguladoras, com uma política fiscal transparente vamos gerar novos empregos para gente qualificada como você, Elizabeth.”

E Dilma?

Continua após a publicidade

Bem, a presidente-candidata chegou ao cúmulo de sugerir que a eleitora graduada fizesse cursinhos de qualificação, como os oferecidos pelo Pronatec e pelo Senai para alunos com ensino médio… Pois é. É “estarrecedor” o que Dilma faz para se vangloriar das escolas técnicas, inspiradas, como Aécio já dissera na Record, no PEP, em Minas Gerais, e nas Etecs, de São Paulo, que ela aliás voltou a chamar cinicamente de escolas experimentais, embora sejam 217 escolas, com 221 mil alunos. Veja o vídeo da vergonhosa e até ofensiva sugestão de Dilma à economista Elisabeth, após, é claro, elogiar a sua pergunta, como o marqueteiro João Santana certamente a orientou a fazer.

A única dos indecisos que ela não elogiou era referente ao mensalão.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=U_czCUZGtHo?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=620&h=349%5D

Transcrição resumida: “Muito boa sua pergunta. Eu não acho que o Brasil não está gerando emprego. O que eu acho, Elizabeth, é que seria interessante que você olhasse entre os vários cursos que tem sido oferecidos, inclusive pelo Senai, que são cursos para pessoas que têm a possibilidade de conseguir um salário e um emprego melhor, se você não acha colocação. Porque eles têm uma carência imensa de trabalho qualificado no Brasil. Não é o que o candidato está dizendo. Nós temos hoje uma taxa de desemprego de 4,9%. Ele queira ou não. E uma coisa é certa. Se não se fizer qualificação profissional, o que você não consegue fazer? Você não consegue fechar aquela demanda por trabalho, por mão-de-obra qualificada com a oferta. Então o que é o Pronatec? O Pronatec é para garantir que você tenha um emprego adequado a sua qualificação.”

Para dizer tamanha barbaridade, Dilma ainda estourou seu tempo. Aécio não podia mesmo conter a risada.

Felipe Moura Brasilhttp://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Facebook e no Twitter. Curta e acompanhe também a nova Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade