Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Tiroteio no Dona Marta destrói o mito da favela-modelo de “pacificação”. Contem outra, Pezão e Beltrame!

Caiu o mito da favela-modelo de “pacificação”, exaltada aos quatro ventos pelo governador Luiz Fernando Pezão e pelo secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame. Traficantes abriram fogo no morro Dona Marta contra policiais que realizavam patrulhamento, na noite de quinta-feira, no Beco do Jabuti. “Os suspeitos fugiram. Buscas estão sendo feitas […]

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 01h16 - Publicado em 29 Maio 2015, 01h35

UPP MartaCaiu o mito da favela-modelo de “pacificação”, exaltada aos quatro ventos pelo governador Luiz Fernando Pezão e pelo secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame.

Traficantes abriram fogo no morro Dona Marta contra policiais que realizavam patrulhamento, na noite de quinta-feira, no Beco do Jabuti.

“Os suspeitos fugiram. Buscas estão sendo feitas na tentativa de localizar os criminosos. Até o momento, nenhum ferido foi localizado”, informou o comando da UPP ao Globo.

Segundo o jornal, os PMs desconheciam a presença de venda de drogas dentro da comunidade e a presença de homens armados na favela.

MENTIRA!

Até os frequentadores da quadra no pé do morro sabem que o buraco é quente mais para cima. Nos bastidores da segurança pública, ninguém ignorava a presença discreta e a volta sorrateira de bandidos à favela, passado o período de reorganização do tráfico após a instalação da UPP.

Continua após a publicidade

Foi exatamente o que aconteceu no Morro do Cavalão, em Niterói, a favela-modelo do extinto Grupamento de Policiamento de Áreas Especiais (Gpae) cuja pacificação também foi festejada pelo Globo em 2006.

Hoje, os traficantes locais promovem tiroteios, atingem policiais e aterrorizam moradores.

Mais cedo ou mais tarde, a maquiagem sempre cai.

tiros

O “abraço grátis” virou “tiros grátis”

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade