Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

STF irritado é melhor! Corte referenda prisão de senador petista que citou nomes de ministros para melar Lava Jato

Supremo reagiu à promessa de Delcídio de interceder junto a Toffoli, Zavascki e Fachin

Por Felipe Moura Brasil - Atualizado em 9 fev 2017, 17h45 - Publicado em 25 nov 2015, 10h58

Toffoli

O banqueiro André Esteves teve acesso ao documento de pré-proposta de delação premiada de Nestor Cerveró.

Para que Cerveró não falasse dele, do BTG Pactual e do senador Delcídio Amaral (PT-MS), Esteves ofereceu R$ 4 milhões ao ex-diretor da Petrobras.

O dinheiro seria pago pelo BTG Pactual em forma de honorários ao advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, por meio de um contrato fajuto.

Publicidade

A família de Cerveró também receberia uma mesada de 50 mil reais.

Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor, gravou as conversas com André Esteves e Delcídio Amaral e as entregou para o Ministério Público Federal.

Nelas, além de mapear as rotas de fuga pelo Paraguai, Delcídio “citou o nome de ministros do STF que, segundo ele, estariam dispostos a votar pela soltura dos investigados da Lava Jato que estavam presos em Curitiba.

A menção aos nomes de magistrados irritou os integrantes do STF, que nesta terça (24) decidiram autorizar a prisão do parlamentar”, informa a Folha.

Publicidade

Delcídio, na verdade, prometeu interceder junto a Dias Toffoli e Teori Zavascki, marcar conversa com Luis Edson Fachin e pedir ajuda de Renan Calheiros e Michel Temer para falar com Gilmar Mendes.

A ministra Cármen Lúcia disse que criminosos não passarão sobre o Supremo.

O ministro Celso de Mello disse que a ordem jurídica não pode permanecer indiferente a condutas acintosas de membros do Congresso Nacional: “Ninguém no Estado Democrático de Direito está acima da lei. Imunidade parlamentar não é manto para proteger senadores da prática de crime”.

Dias Toffoli disse que “se criou uma lenda urbana de que o STF seria leniente com a impunidade”.

Publicidade

Ou seja: o fato de Delcídio ter sido pego prometendo influir na Corte obrigou os ministros – antes molengas com a Lava Jato – a afetar rigor e independência para amenizar os danos à própria imagem.

Resultado: a 2ª Turma do STF referendou por unanimidade as prisões de Delcídio Amaral e André Esteves.

A Corte encaminha nesta quarta-feira ao Senado os autos do processo e o áudio da sessão da Turma, para que os senadores decidam sobre a permanência da prisão.

Zavascki, que relatou uma “atuação concreta e intensa” de Delcídio e Esteves para evitar a delação de Cerveró e disse que o senador não medirá esforços para “embaraçar a Lava Jato”, acrescentou que a prisão é cautelar em razão da flagrância.

Publicidade

Preso desde janeiro deste ano e condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, Cerveró narrou em depoimento crime de corrupção cometido por Delcídio na compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

Como o melhor amigo de Lula, José Carlos Bumlai, foi preso na terça-feira, convém concluir:

Média de um petista preso por dia está ótima. Continue assim, Polícia Federal.

Felipe Moura Brasil ⎯ https://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Publicidade

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Publicidade