Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Os 10 xingamentos no blog e o policial muçulmano morto em Paris

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 02h22 - Publicado em 8 jan 2015, 20h42

Veja o amor que os militantes me devotam na seção de comentários:

és um verdadeiro gênio da raça, seu coxinha débil mental.
Fique sabendo, seu reaça xenófobo e direitista de merda, que o policial, aquele mesmo policial barbaramednte [sic] assassinado, cuja imagem sendo baleado na cabeça assutou [sic] o planeta era Ahmed Merabet, muçulmano.
O policial morto era MUÇULMANO.
Seu coxinha otário. Islamofóbico de merda. Babaca reacionário. Idiota, idiota. idiota!!!
Pronto! Falei o que precisava ser falado. Tenha um bom dia!

Captura de Tela 2015-01-08 às 18.51.06

Quanta gentileza, quanta educação. Nunca pensei que eu fosse ser xingado umas 10 vezes por conta da religião de um policial morto, mas a militância tem sido cada vez mais “criativa” nos pretextos que encontra para disparar seu ódio desprovido de qualquer esboço de argumentação.

Muçulmano francês, o policial Merabet, de 42 anos, casado e sem filhos, fazia ronda a pé no 11º bairro de Paris na quarta-feira ao fim da manhã e foi alvejado quando os terroristas saíam do prédio do jornal “Charlie Hebdo”. Estava no chão, já ferido, quando os terroristas voltaram para disparar contra ele a sangue frio. “Quer me matar?”, ouve-se o homem mascarado perguntar a Merabet em vídeo* colocado no Youtube, que segue abaixo. “Não, está tudo bem, chefe”, disse o policial, antes de ser executado.

Outro policial, identificado como Franck Brinsolaro, de 49 anos, também foi assassinado pelos irmãos Kouachi durante o ataque. Brinsolaro, que deixa mulher e dois filhos, estava destacado como guarda-costas do editor do jornal satírico, Stéphane Charbonnier, o cartunista conhecido como Charb, também assassinado.

O Islã explicitamente condena o assassinato de outros muçulmanos, mas muitos grupos islâmicos justificam seus ataques indiscriminados contra companheiros de fé, afirmando que aqueles que vivem no Ocidente, ou de outra forma não avançando a causa radical do seu grupo, traem o “verdadeiro Islã” e, portanto, são apóstatas.

Continua após a publicidade

No caso de Merabet, no entanto, ele parece ter sido morto pelo simples fato de ser um policial entre os terroristas e a rota de fuga. O vídeo da fuga mostra que ambas as partes não tiveram tempo para um bate-papo sobre religião – não que isto fosse mudar muita coisa, é claro.

Já à jornalista Sigolène Vinson, um dos terroristas havia dito com uma arma apontada contra sua cabeça: “Você não vai morrer, porque não matamos mulheres, mas vai ler o Corão.”

Este blog, que nunca falou que TODOS os muçulmanos são radicais, muito menos que TODOS são terroristas, lamenta profundamente a morte de Merabet, mas agradece, mais uma vez, pelos xingamentos da militância analfabeta. Eu não me “assuto”.

Pronto! Falei o que precisava ser falado. Tenha uma boa noite!

* [CENAS FORTES:]

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=6zdXj4FiZg0?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=620&h=349%5D

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade