Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Dilma usa Lei Seca contra Aécio, mas já descumpriu lei de trânsito com neto de 3 anos no colo – infração também é considerada gravíssima na legislação brasileira

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 02h50 - Publicado em 17 out 2014, 17h15

“Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz.” Não há um só dia em que os petistas não sigam a recomendação atribuída a Lenin – e não haveria por que ser diferente logo em época de eleições, quando eles confessadamente fazem “o diabo”.

No debate do SBT desta quinta-feira, a presidente-candidata Dilma Rousseff sacou uma pergunta sobre a Lei Seca no trânsito, cujo verdadeiro objetivo era lembrar o episódio em que Aécio recusou-se a fazer o teste do bafômetro durante uma blitz no Rio de Janeiro. O feitiço virou contra o feiticeiro (no caso, João Santana, o marqueteiro de Dilma): Aécio respondeu dizendo que ela “poderia ter sido direta” e ele mesmo mencionou o episódio. Na sequência, acusou Dilma de rebaixar o nível do debate e acabou aplaudido. O trecho em vídeo segue no fim deste post.

Mas quem é Dilma para falar de infração de trânsito? Quem é Dilma para falar em tom professoral sobre “tratar esse assunto com mais cuidado” e “seriedade”, “porque depende dele muitas vezes a vida ou a morte dos nossos jovens”? Fazendo uma insinuação de baixeza exemplar, ela ainda disse que não dirige sob álcool e droga. Ela faz mesmo diferente: coloca a vida de seu próprio neto em risco sem nem dirigir. Vejam esta foto de dezembro de 2013.

dilma-neto-2013-12-20-size-598

Em Porto Alegre para participar da inauguração de uma rodovia, Dilma foi flagrada carregando no colo o neto Gabriel, de três anos, no banco de trás do carro. A infração é considerada gravíssima na legislação de trânsito brasileira, assim como dirigir sob influência de álcool. Segue trecho da matéria da Veja.com naquele dia, à qual acrescento o print abaixo. Volto em seguida:

Captura de Tela 2014-10-17 às 15.14.50Em vigência desde 2010, a chamada “lei da cadeirinha” determina que crianças de 1 a 4 anos sejam transportadas em um equipamento especial de segurança. A pena para o descumprimento da norma é a perda de sete pontos na carteira, multa de 191,54 reais e a retenção do automóvel até a instalação da cadeirinha.

Continua após a publicidade

Horas depois do flagrante, a presidente usou o Twitter para se desculpar pela infração. “Estive hoje na casa da minha filha e, de lá, levei meu neto à casa do avô, que fica no mesmo bairro. Meu neto foi abraçado comigo no banco de trás. Foi um erro. A legislação de trânsito é clara: criança tem que andar na cadeirinha. Peço desculpas pelo erro”, escreveu Dilma.

Dilma escapou da multa – que, na verdade, seria de 7 pontos para o motorista do carro -, porque o flagra dos fotógrafos não é suficiente para implicar em penalidade e teria sido necessária a abordagem de um agente de trânsito. E sim: diante da revelação de que colocou em risco uma criança, obviamente pediu desculpas – aquelas mesmas que não levou em conta no caso de Aécio, insistindo em suas lições de motorista e cínicas vanglórias.

Dilma moto[* Em outra ocasião, de acordo com a Folha, Dilma ainda teria andado de moto sem habilitação em Brasília.]

Não bastasse colocar o país em risco sob sua desastrosa direção, a presidente ainda quer falar da direção dos outros. Será que vai insistir no tema para ser ainda mais humilhada no próximo debate? Ou João Santana vai reconhecer que a estratégia não funcionou e, sei lá, acusar Aécio de roubar a caneta de um colega na aula de matemática da quarta série?

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Facebook e no Twitter. Curta e acompanhe também a nova Fan Page.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=LdphYp3wb0Y?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=620&h=349%5D

Continua após a publicidade

Publicidade