Clique e assine a partir de 9,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Detalhes tão pequenos de Lula e Emílio são grandes para esquecer

Blog comenta financiamento de aliados do Foro de São Paulo. Veja resumão

Por Felipe Moura Brasil - Atualizado em 30 jul 2020, 21h05 - Publicado em 24 dez 2016, 16h32

– Com Justiça dos EUA pondo cereja final no bolo da Lava Jato, há mais um motivo para diretores americanos lançarem filme sobre o maior caso de suborno da história. Difícil é arranjar um diretor não esquerdista em Hollywood. Alô, Clint Eastwood, Michael Bay…

– Nosso maior produto de exportação – a corrupção – se espalha pelo mundo.

– Ministério Público da Suíça sequestrou cerca de 100 milhões de dólares que a Odebrecht tinha em contas secretas, usadas para pagar propina no Brasil e em mais 11 países. Finalmente, a Suíça não está dando moleza para peixe grande.

– Neste Natal, Lula pode cantar para Emílio Odebrecht e vice-versa: “Detalhes tão pequenos de nós dois / são coisas muito grandes pra esquecer / e a toda hora vão estar presentes / você vai ver”.

– Meu vizinho ouve barulho no hall e grita: “É o Felipe?” Abre a porta descalço, sem camisa, e pergunta: “Agora o Lula vai ser preso, né?”

– Lula vai se candidatar à Presidência só para PT usar narrativa do complô contra sua volta ao governo quando ele for preso. PT insulta inteligência alheia.

– Maior vanglória de Lula é ter tirado dinheiro de quem trabalha para dar parte menor a quem não trabalha. A maior foi para empresários ricos.

– Odebrecht pagou campanhas de aliados de Lula no Foro de São Paulo, como a de Maurício Funes em El Salvador, em troca de influência no governo do PT.

– Lula autorizou pagamento de R$ 5,3 milhões, descontado do caixa dele segundo delatores, ao marqueteiro João Santana pela campanha de 2009 de Funes, então casado com a militante petista Vanda Pignato.

Mauricio Funes e sua então esposa Vanda Pignato, com o filhos deles Gabriel no colo, encontram Lula em São Paulo em 20 de março de 2009
Mauricio Funes e sua então esposa Vanda Pignato, com o filho deles Gabriel no colo, encontram Lula em São Paulo em 20 de março de 2009 Ricardo Stuckert/Reuters

– Em 2013, o secretário executivo do Foro de São Paulo, Valter Pomar, falou ao site do Foro sobre o desejo do PT de emplacar o vice e sucessor esquerdista de Funes, Salvador Sanchez Ceren, da FMLN, que acabou eleito:

“É bom lembrar, também, que o governo de Maurício Funes é muito identificado com a experiência do governo Lula: vencer lá terá um significado especial para nós.”

É uma identificação especial com a Odebrecht.

– Fraudar democracias no país e no exterior deveria render prisão perpétua.

– Este é o ex-presidente Maurício Funes, fazendo propaganda do encontro do Foro de São Paulo de 2016, em El Salvador.

Continua após a publicidade

– Foi lá em El Salvador, também, no encontro do Foro de São Paulo de 1996, que o falecido ditador da Venezuela Hugo Chávez conheceu Lula e Raúl Reyes, então terrorista número 2 das Farc, como contou o próprio Chávez em vídeo (no qual confunde apenas o ano, citando 1995).

– No vídeo “A vitória da Lava Jato contra a mentira de criminosos”, de março de 2016, mostrei o que dizia cinicamente Marcelo Odebrecht, filho de Emílio, antes de decidir delatar. Relembro:

– TSE: Defesa de Dilma usou fotos de 2010 para comprovar serviços da campanha de 2014. Alô, ministro relator Herman Benjamin: aqui na minha terra, o nome disso é fraude processual. Uma fraude para justificar outra. O petismo em sua essência.

– PR tenta trazer Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para ser candidato a presidente em 2018. Já imaginou Bolsonaro com Magno Malta de vice? Haja pipoca.

– Da série “frases do ano… que se voltam contra você”:

Que tipo de gênio perde um bilhão de dólares, perguntava Hillary Clinton, cuja campanha derrotada custou mais de 1 bilhão de dólares
“Que tipo de gênio perde um bilhão de dólares?”, perguntava Hillary Clinton, cuja campanha derrotada custou 1,2 bilhão de dólares The Hill/New York Post/Reprodução

– Donald Trump: “Vladimir Putin disse hoje [sexta, 23] sobre Hillary e democratas: ‘Na minha opinião, é humilhante [o mimimi após a derrota eleitoral]; é preciso ser capaz de perder com dignidade”. Tão verdadeiro!”

– Condenado na Tunísia por furto e roubo, na Itália por incendiar prédio, terrorista matou 12 em Berlim. E esquerda acha bacana receber todos.

– Cidadão normal ao ver 12 cadáveres: “Que horror! Como evitar novos massacres?” E o esquerdista: “Putz, isto vai fortalecer extrema-direita”.

– G1: “Merkel quer aumentar o número de deportações de tunisianos com visto negado”. Não teria esperado 12 cadáveres se ouvisse verdades da direita.

– G1 chama Alternativa para a Alemanha (AFD) de “partido populista de direita”, traduzindo France Presse. Adjetiva-se a direita sem o menor pudor.

– Todos os partidos de direita da Europa são chamados de “radical”, “extremista” e “populista” na imprensa, como se fosse informação qualquer. Os de esquerda se passam por neutros.

– Se é “extremismo” proteger o próprio povo, por que não seria “assédio” uma cantada, não é mesmo? Bem-vindo ao país da militância histérica.

– Por mais que o Brasil se livre politicamente do PT, ainda vai dar muito trabalho livrar culturalmente o país da histeria esquerdista.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade