Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Chupeta Day foi só esperneio. Segue o impeachment

Renan confirma votação do afastamento de Dilma para quarta-feira. Veja resumão

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 30 jul 2020, 22h47 - Publicado em 10 Maio 2016, 00h03

Renan segue o jogo

Cobertura em tuitadas da noite do Chupeta Day:

– Waldir Maranhão, flagrado em áudio assessorando “quadrilha” de doleiro, prega defesa das leis para justificar golpe do PT que tentou emplacar.

– Maranhão: “Tenho consciência o quanto esse momento é delicado, momento em que nós temos o dever de salvar a democracia e o debate”. Mimimi.

– Maranhão não permitiu perguntas à imprensa. Como Dilma, não tem a menor capacidade de argumentar tecnicamente em favor dos atos que comete.

– O fato: faltou o governo combinar o golpe com os russos: no caso, Renan Calheiros, que rejeitou a decisão de Maranhão. Resta a Cardozo chorar no STF.

– Governo sabe que a chance de manobras como a de Maranhão prosperarem é remota, mas busca fortalecer narrativa do “golpe” com os factoides à mão.

– Depois de ser usado pelo governo, Waldir Maranhão poderá não apenas ser expulso do PP como ter seu mandato cassado. É nisso que dá obedecer Lula.

– Bancada da Chupeta continua esperneando no Senado e tumultuando a leitura do relatório da comissão do impeachment. Gente muito mal-educada.

– Gleisi Hoffmann (PT-PR) esperneia, implorando leitura na íntegra do parecer pró-impeachment, em vez do resumo já lido. Tudo para atrasar.

– Governistas querem que sessão desta segunda no Senado se estenda até terça para que Dilma ganhe mais um dia na Presidência. É melancólico.

– Renan diz que senadores receberão relatório na íntegra e basta no Senado leitura de resumo, como prevê regimento. Gleisi está inconsolável.

– Renan condiciona votação do impeachment à da cassação de Delcídio, que votaria pelo impeachment. Renan dá uma no cravo, outra na ferradura.

– Renan se irritou com requerimento de Aloysio Nunes (PSDB-SP) que pediu mais informações sobre processo de Delcídio, adiando decisão da CCJ.

– Renan: “O espetáculo de colocar o senador Delcídio do Amaral para votar o afastamento de Dilma é tão grande como esse do presidente da Câmara”.

Continua após a publicidade

– Aloysio Nunes nega a intenção: “A informação que tenho, inclusive, é que ele está de licença médica. A decisão da CCJ não tem nada a ver com isso.”

– Nunes pediu informações do aditamento feito pela PGR no processo contra Delcídio no STF depois que Delcídio defendeu que CCJ tivesse acesso.

– Nunes chama de “infâmia” afirmação de Lindbergh (PT-RJ) de que há acordão do PSDB com Delcídio para relativizar citações a Aécio Neves em delação.

– Lindbergh: objetivo do PSDB é Delcídio dizer que citou Aécio no esquema de Furnas com base no “ouvi dizer”. Mas delação mostra que foi assim mesmo.

– Narrativa de Delcídio sobre Aécio, como comentei na ocasião, foi indireta, ainda que a forma como ele a expressou (“sem dúvida”) indicasse uma certeza.

– Se Aécio teve atuação irregular no caso narrado por Delcídio, não é seu testemunho de 2ª mão que prova tal coisa. Inquérito pedido por Janot é que dirá.

Tuite petistas ignoram diferenca delatores

– Delcídio declara: “Eu, como líder do governo, agi a mando do Lula” na tentativa de comprar o silêncio de Nestor Cerveró. Isto, sim, é testemunho direto.

– Decídio aponta a incoerência de Dilma em chamar de mentiroso o senador que escolheu para representá-la: “Eu fui o líder dela aqui no Senado.”

– Delcídio diz que agiu a mando de Dilma para garantir Navarro no STJ para tentar soltar Marcelo Odebrecht, que confirmou que ela atuou para soltá-lo.

– Após ameaça de Renan de adiar impeachment, CCJ aprova no plenário do Senado o parecer de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) pela cassação de Delcídio.

– Renan confirma que cassação de Delcídio será votada na terça e o afastamento de Dilma, na quarta, conforme o previsto. #ChupetaDay foi só esperneio.

* Veja também o próximo post: “Waldir Maranhão desiste de suspender impeachment e completa vexame do governo no Chupeta Day“.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade