Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Caiado lamenta traição de Aleluia, Rodrigo Maia e outros seis do DEM ao sentimento da população brasileira

Oito deputados do DEM votaram a favor do governo, dizendo sim à MP 665 que traiu os trabalhadores do Brasil: Rodrigo Maia RJ José Carlos Aleluia BA Carlos Melles MG Claudio Cajado BA Elmar Nascimento BA Marcelo Aguiar SP Misael Varella MG Paulo Azi BA Antes do voto, segundo a Folha de S. Paulo, eles […]

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 01h27 - Publicado em 7 Maio 2015, 12h02

Oito deputados do DEM votaram a favor do governo, dizendo sim à MP 665 que traiu os trabalhadores do Brasil:

Rodrigo Maia RJ
José Carlos Aleluia BA
Carlos Melles MG
Claudio Cajado BA
Elmar Nascimento BA
Marcelo Aguiar SP
Misael Varella MG
Paulo Azi BA

Antes do voto, segundo a Folha de S. Paulo, eles se reuniram com Michel Temer, a pedido de ACM Neto.

Ronaldo Caiado (DEM-GO) lamentou, em nota oficial, o colaboracionismo de seus colegas:

“Foi deprimente ver o partido agir assim. Cabe a nós pedirmos desculpas por essa traição ao sentimento da população brasileira.”

O senador frisou ainda:

“Se os parlamentares que se comprometeram com a oposição tivessem votado contra a MP do PT, teríamos encurtado esse governo e definido um novo rumo para o País. A votação de ontem é o sinal claro do fim do ciclo do PT. Panelaços, faixas e PTrodólares voando pelo plenário.”

De fato, se os oito colaboracionistas do DEM – assim como os demais de PSB, PV e Solidariedade – não tivessem sabotado os seus eleitores, o segundo mandato de Dilma Rousseff estaria perto do fim.

Continua após a publicidade

Cobrado no Facebook, Aleluia se saiu com uma desculpa esfarrapada típica de quem se deixa amolecer pelos chavões do marketing petista:

“Não se trata de ajudar governo, mas de corrigir um erro que o PT cometeu nos últimos 12 anos. Não faço oposição do ‘quanto pior, melhor’.

Pior para quem, deputado? Só se for para Dilma, que veria seu governo ser estrangulado em praça pública, a pagar o preço de seus estelionatos eleitorais. Uma oposição que quer “corrigir um erro” do PT, em vez de tirar o PT do poder para eliminar todos os “erros”, não é oposição de maneira alguma. É ombudsman do governo.

“Dilma editou essa MP porque perdeu controle da gastança sobre os benefícios. Custo com abono saiu de R$ 1,8 bi em 2002 para R$ 15,9 bi em 2014. Se a MP hoje está editada, é por conta da incompetência do PT, mas não sou de me furtar em matéria polêmica nem de fazer demagogia com meu voto. Voto contra o governo, mas não contra o Estado brasileiro. Meu voto está anunciado desde terça, inclusive fui eu que pedi para que a votação fosse nominal para que você soubesse exatamente quem votou em quê como pode assistir aqui.”

O pedido de transparência não exime o deputado da responsabilidade moral pela covardia mal justificada.

Votar a favor do governo agonizante do PT, traindo o sentimento da população, é votar contra o Estado brasileiro – este que é assaltado há 12 anos pelos petistas, com a cumplicidade de uma oposição de quinta categoria.

Na hora do nocaute, ela sempre oferece a mão para tirar o PT das cordas.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade

Publicidade