Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Após ato do PT em defesa da Petrobras, batedores de carteira marcam ato em defesa das carteiras

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 02h03 - Publicado em 25 fev 2015, 00h50

Lula Petrobras

O PT roubou pelo menos 640 milhões de reais da Petrobras, de acordo com a Operação Lava Jato, mas nenhum centavo foi devolvido à estatal no ato em sua suposta defesa realizado nesta terça-feira na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio de Janeiro, sob a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula “Sabia de Tudo” da Silva.

(* Enquanto o evento transcorria, ainda veio a notícia de que a agência de classificação de risco Moody’s, preocupada com as investigações sobre a corrupção e o atraso na divulgação do balanço, rebaixou a nota da Petrobras e retirou o grau de investimento. Coisa linda.)

PT espancaDo lado de fora, os manifestantes anti-PT que gritavam “Fora, Dilma!” acabaram violentados por milicianos petistas, exatamente como o vice-presidente do partido, Alberto Cantalice, havia orientado a corja não fazer no dia 15 de março. Mas é próprio dos valentes aproveitarem enquanto são maioria, não é mesmo?

Já do lado de dentro, o líder do Movimento dos Sem Terra (MST) João Pedro Stédile, o ex-presidente nacional do PSB e membro do Foro de São Paulo Roberto Amaral e o militante virtual petista (segundo o próprio presidente do partido, Rui Falcão) Luís Nassif uniram-se a Lula para violentar, como de costume, a inteligência do povo brasileiro.

“Hoje, não precisamos de Justiça. Se a imprensa falou, tá falado”, disse o ex-presidente, vitmizando-se e culpando pela enésima vez a imprensa pela roubalheira do PT. Esse é o mesmo Lula que, de acordo não com a imprensa, mas com o empresário Auro Gorentzvaig, cuja família foi sócia da Petrobras na refinaria Triunfo, disse: “Poder Judiciário não vale nada. O que vale são as relações entre as pessoas”.

Entre o Lula que exalta a Justiça em público e o Lula que a menospreza em privado (enquanto ministros petistas como José Eduardo Cardozo manobram para boicotá-la), eu fico com o segundo, que me soa muito mais sincero.

De qualquer modo, o ato do PT em defesa da Petrobras inspirou vários outros grupos a marcarem atos de lógica semelhante pelo país:

Continua após a publicidade

1) Os batedores de carteira marcaram um ato em defesa das carteiras;

2) Os ladrões de carro marcaram um ato em defesa dos carros;

3) Os traficantes de drogas marcaram um ato em defesa dos viciados;

4) Os estupradores marcaram um ato em defesa das vítimas de abuso sexual;

5) E os assassinos marcaram um ato em defesa das vítimas de assassinato.

Pronto. Chega de “golpistas”. Graças ao exemplo de Lula e seus milicianos, finalmente o país terá protestos (pacíficos) de verdade.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade