Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

A demonização de Trump na imprensa brasileira

Abaixo, as minhas tuitadas sobre a “cobertura” da pré-candidatura republicana de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. Goste-se ou não dele, os fatos são coisas teimosas. 1) Matéria do Globo sobre Donald Trump é militância. Xinga seu discurso de preconceituoso sem dizer por quê e inverte o que disse sobre John McCain. 2) Trump disse que […]

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 00h51 - Publicado em 26 jul 2015, 17h51

donald-trump-empresario-apresentador-reality-show-originalAbaixo, as minhas tuitadas sobre a “cobertura” da pré-candidatura republicana de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

Goste-se ou não dele, os fatos são coisas teimosas.

1) Matéria do Globo sobre Donald Trump é militância. Xinga seu discurso de preconceituoso sem dizer por quê e inverte o que disse sobre John McCain.

2) Trump disse que McCain não era herói, parou, corrigiu-se, repetiu 4 vezes que McCain é herói. A esquerda usou a negativa. O Globo traduziu.

3) Sim: Trump repetiu piada sobre McCain ter sido capturado. A original é do humorista esquerdista Chris Rock em 2008, que a esquerda adorou.

4) Trump, 2015: “Eu gosto de gente que não foi capturada.” Chris Rock, 2008: “Eu não quero votar em ninguém que foi capturado.”

5) Demonização de Trump na imprensa brasileira é mais ridícula que na americana que ela traduz. Faz-se caricatura do homem ignorando o que diz.

6) Receita ‘Clóvis Rossi‘ (da Folha) para demonizar Trump: compare-o a Collor, distorça declarações sem dar aspas e cite frases de esquerdistas sobre ele.

7) Clóvis Rossi: Trump pensa que mexicanos são “todos narcotraficantes e estupradores”. Trump sobre imigrantes: “some I assume are good people”.

8) Quase 7 em cada 10 estrangeiros em prisões dos EUA são mexicanos, mas esquerda se escandaliza se Trump diz que entra bandido.

Continua após a publicidade

9) Em seu best seller de 2011, Time to Get ToughTrump já responsabilizava democratas e republicanos por políticas de imigração fracassadas:

a) “Ambos os lados precisam crescer e colocar os interesses dos Estados Unidos em primeiro lugar, e isso significa fazer o que é certo para a nossa economia, nossa segurança nacional e nossa segurança pública.”

b) “De acordo com relatório da Govern Accountability Office (GAO) [órgão responsável por Auditoria, Avaliações e Investigações do Congresso dos EUA], as prisões da América abrigam 351 mil estrangeiros criminosos que cometeram um crime após já terem quebrado a lei, entrando na América ilegalmente.”

c) “Fazer os contribuintes pagarem [cerca de 1,1 bilhão de dólares] por 351 mil criminosos que, em primeiro lugar, nunca deveriam ter entrado aqui, é ridículo.”

d) Trump também mostrou que, segundo GAO, os estrangeiros ilegais criminosos cometem atos que resultam em uma média de sete detenções.

e) Trump ainda apontou um relatório de 2009 do próprio New York Times esquerdista “sobre o fato de que um em cada três detentos federais é latino”.

10) Por que, então, só agora a esquerda resolveu demonizar Trump por aquilo que seus próprios jornais e os dados oficiais confirmavam?

Simples: Trump disparou na liderança das pesquisas.

* Relembre também aqui no blog:
Enfim, um candidato “ultraconservador” para a imprensa

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade