Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

10 respostas devidas por Janot à sociedade brasileira

Suspensão da delação da OAS que cita Toffoli e 'mata' Lula tem de ser explicada

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 30 jul 2020, 22h02 - Publicado em 22 ago 2016, 22h25

janot toffoli lula

Comentei às 7:05 da manhã desta segunda-feira (22) na sequência da referida notícia do Globo depois confirmada por VEJA:

tuite janot suspende

Fui generoso ao colocar o ponto de interrogação.

O noticiário de bastidor desta tarde indica que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cedeu à pressão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela suspensão da delação de Léo Pinheiro e outros executivos da OAS sob a desculpa da quebra do acordo de confidencialidade com o vazamento da citação ao ministro Dias Toffoli, revelada por VEJA no fim de semana.

Em 16 março, durante a cobertura da sessão em que o STF rejeitou recurso da Câmara e manteve a decisão sobre o rito do impeachment baseada no voto estapafúrdio de Luis Roberto “Minha Posição” Barroso, desmascarado neste blog, dei o seguinte comentário que serve igualmente na hipótese da pressão atual do Supremo sobre Janot:

tuite stf mafiosoEventuais temores de uma Corte composta por 8 ministros indicados pelo PT diante da eventual incriminação de um deles pelo empreiteiro que apresentou 10 anexos sobre sua relação com Lula não são difíceis de especular. Muito menos o alívio de Lula (e outros petistas graúdos, claro) com a suspensão da delação que o “mataria”, como vinha anunciando a imprensa.

Cabe a Janot prestar contas à sociedade brasileira, respondendo tintim por tintim as seguintes questões (algumas das quais – ou todas – obviamente não responderá):

1) Qual é a diferença entre o caso da OAS e de todas as demais delações vazadas parcial ou integralmente à imprensa sem que tenham sido suspensas em função dos vazamentos?

2) Nenhuma das demais delações tinha acordo semelhante de confidencialidade assinado pelas partes antes da ocorrência dos vazamentos? (Quais tinham?)

Continua após a publicidade

3) O acordo prevê a suspensão da delação independentemente da apuração sobre quem vazou a informação (seja alguém da OAS, seja alguém do Ministério Público Federal que tivesse ou não o objetivo de plantar um pretexto para a suspensão)?

4) O acordo prevê a suspensão da delação independentemente também de haver ou não (e não havia neste caso) imputação de ação criminosa à pessoa citada na informação vazada (Toffoli)?

5) O PGR soube quem vazou a informação antes de decidir suspender a delação? Se sim, quem foi?

6) Os 70 anexos da delação da OAS contendo a imensa sujeira do submundo político brasileiro serão jogados no lixo por causa de uma única informação vazada (sabe-se lá por quem)? (Isto dará margem a demais citados em outras delações vazadas parcial ou integralmente a exigirem suas respectivas suspensões também?)

7) Qual é a possibilidade de o senhor revogar sua própria decisão ou estabelecer um novo acordo de delação com a empreiteira?

8) O senhor foi procurado e/ou pressionado por ministros do STF e seus emissários antes de suspender a delação da OAS?

9) Há uma enorme pizza sendo assada diante dos olhos da população brasileira pelas maiores autoridades deste país para livrar da cadeia o alto escalão da corrupção nacional?

10) Diante das decisões não ou mal explicadas da PGR e do STF, o senhor reconhece que a sátira em bonecos infláveis é até um gesto educado dos cidadãos que pagam por meio de altos impostos seus salários, sobre os quais atualmente ainda se discute um aumento?

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e no Youtube.

Continua após a publicidade
Publicidade