Clique e assine com 88% de desconto
Dora Kramer Por Coluna Coisas da política. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Uva verde

Presidente desdenha do pacto entre Poderes porque não conseguiu levá-lo adiante

Por Dora Kramer - Atualizado em 4 jul 2019, 13h27 - Publicado em 4 jul 2019, 13h24

A fábula é um clássico no simbolismo da desdenha: relata o menosprezo da raposa pelas uvas que não conseguiu alcançar na vinha alta, além do seu alcance, alegando que estão verdes. O conto atribuído a Esopo e La Fontaine retrata a reação do presidente Jair Bolsonaro ao pacto entre os três Poderes proposto ele no dia 28 de maio. Era uma evidente bobagem levada, no entanto, a sério pelo Palácio do Planalto que anunciou assinatura para 10 de junho.

Depois de dois adiamentos, Bolsonaro finalmente enterrou ontem (03/07) a proposta alegando não ser necessário firmar por escrito a disposição de Executivo, Legislativo e Judiciário em tocar medidas de avanço para o melhor funcionamento do Estado. Fez isso porque não pôde alcançar seu midiático e inútil intento. Tal e qual a raposa e as alegadamente menosprezadas uvas verdes.

Publicidade