Clique e assine a partir de 9,90/mês
Dora Kramer Por Coluna Coisas da política. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Morde e assopra

Planalto controla cartazes em atos por medo do inquérito do STF

Por Dora Kramer - 18 maio 2020, 14h45

O pedido de retirada de faixas e cartaz com referências agressivas aos outros Poderes no ato de domingo, 17, não foi feito porque Jair Bolsonaro discorde dos dizeres, mas por ter sido convencido dos danos políticos e eleitorais decorrentes do aval a palavras de ordem atentatórias às instituições e ao estado de direito.

Políticos por influir no humor dos congressistas, os juízes de eventual processo de impedimento, e eleitorais pelo crescimento de avaliação negativa registradas nas últimas pesquisas.

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine

Além disso o presidente nem os 11 ministros que o acompanhavam, sobretudo os militares, poderiam compactuar com as ofensas sem o risco de virem a ser enquadrados no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal, sob a relatoria do ministro Alexandre de Moraes, para investigar a origem da organização de tais atos antidemocráticos.

Publicidade