Clique e assine a partir de 9,90/mês
Dora Kramer Por Coluna Coisas da política. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Covid testa moderação

Queira o bom senso que Bolsonaro não se dê como exemplo da 'gripezinha'

Por Dora Kramer - Atualizado em 17 jul 2020, 14h52 - Publicado em 7 jul 2020, 12h50

A Covid-19 pegou o presidente Jair Bolsonaro em fase moderada e, ao que indicam os sintomas até agora, em intensidade amena. Estivesse ele em seu habitat natural do confronto, certamente diria alguma impropriedade para comprovar a ideia da “gripezinha”. Contido pelos fatos adversos, Bolsonaro está impedido de promover a tese dando-se como exemplo em contraposição aos mais de 65 mil brasileiros mortos por infecção do coronavírus.

A conferir, no entanto, se os conselheiros da moderação vão convencê-lo a não usar sua situação para voltar a menosprezar a gravidade da crise sanitária e ainda atribuir poderes curativos à hidroxicloroquina que passou a tomar assim que sentiu os primeiros feitos do vírus. A circunstância oferece oportunidade para o país conferir se a fase amena do presidente testará positiva ou negativa.

ASSINE VEJA

Governo Bolsonaro: Sinais de paz Leia nesta edição: a pacificação do Executivo nas relações com o Congresso e ao Supremo, os diferentes números da Covid-19 nos estados brasileiros e novas revelações sobre o caso Queiroz
Clique e Assine

 

Publicidade