Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Clarissa Oliveira Notas sobre política e economia. Análises, vídeos e informações exclusivas de bastidores

Bolsonaro engana-se ao achar que o Centrão tem dono

Em negociação avançada para se filiar ao PL, presidente amplia dependência do grupo liderado por Valdemar Costa Neto

Por Clarissa Oliveira Atualizado em 9 nov 2021, 16h17 - Publicado em 9 nov 2021, 15h54

Quem orbita em torno do presidente Jair Bolsonaro diz que sua já anunciada filiação ao PL de Valdemar Costa Neto extermina o principal fantasma que pairava sobre a estratégia de alianças para a corrida presidencial do ano que vem. Que os partidos do Centrão têm no fisiologismo sua principal característica, ninguém duvida. Mas o PL era de fato tido no Planalto como a legenda com maior potencial de virar a casaca até a eleição. Em tese, problema resolvido.

É claro que, em termos de governabilidade para este último ano do mandato, o movimento de Bolsonaro tem seus encantos. Mas engana-se quem acredita que o Centrão agora tem dono, apenas porque Bolsonaro decidiu se filiar a um dos partidos mais fortes desse grupo político.  Um alto integrante do PL – que, por sinal, não gosta nem um pouco da ideia de dividir legenda com bolsonaristas – resumiu à coluna o que se pode esperar em termos de fidelidade: “Ninguém aqui vai comprar promessa solta no ar. O Bolsonaro está devendo para o PL faz tempo. Vai ter que agradar a muita gente para fazer a roda girar”.

Ele se referia ao fato de a legenda de Valdemar Costa Neto ter se sentido desprestigiada na distribuição de cargos no governo até o momento. Não foram poucas as vezes nos últimos meses que integrantes do PL ficaram enciumados diante da força do PP no governo. Ou dos avanços de legendas como Republicanos e PSD na Esplanada.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade