Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Cidades sem Fronteiras Por Mariana Barros A cada mês, cinco milhões de pessoas trocam o campo pelo asfalto. Ao final do século seremos a única espécie totalmente urbana do planeta. Conheça aqui os desafios dessa histórica transformação.

Imóveis caros fazem moradores de cidade dos EUA entrarem na Justiça contra a prefeitura

A pequena Lafayette fica perto de San Francisco, onde estão os aluguéis mais altos do país

Por Mariana Barros Atualizado em 31 jul 2020, 00h25 - Publicado em 25 set 2015, 17h56
Casa à venda em Lafayette por 2 milhões de dólares: moradores reclamam da falta de imóveis mais acessíveis na região

Casa à venda em Lafayette por 2 milhões de dólares: moradores reclamam da falta de imóveis mais acessíveis na região

Um grupo de moradores da pequena cidade de Lafayette, perto de San Francisco, na Califórnia, decidiu ir à Justiça contra a prefeitura alegando não haver casas na região pelas quais consigam pagar. Eles esperam que assim consigam obrigar a administração pública a ampliar a oferta de imóveis a preços acessíveis. A iniciativa surgiu depois do cancelamento de um projeto de 2001 que previa a construção de 315 apartamentos com preço de aluguel entre 1.500 dólares e 2.500 dólares. Neste mês, os desenvolvedores anunciaram uma mudança de planos. Em vez de manter a proposta inicial, decidiram construir apenas 44 unidades para serem vendidas por 1,2 milhão de dólares cada uma.

A mudança não passou batido pela SFBARF, organização dos locatários da região, que concentra os alugueis mais caros dos Estados Unidos. Eles afirmam que Lafayette não oferece moradias populares e isso contribui para a escassez de imóveis que vem jogando lá em cima os preços dos alugueis e das propriedades à venda.

Pessoas que seriam beneficiadas pelo projeto original e não terão mais como arcar com a nova proposta estão sendo convocadas para entrarem juntas na Justiça. A iniciativa pegou de surpresa prefeitura e incorporadoras. Embora diversos outros projetos populares já tenham sido cancelados e substituídos por outros de perfil mais alto, é a primeira vez que uma entidade civil se mobiliza para levar o caso aos tribunais.

Qualquer que seja a cidade, a lógica é a mesma. Reduzir a oferta é aumentar o custo de ter um lugar para morar.

San Francisco foi ficando cara a partir do expansão das gigantes do Vale do Silício, como Google e Apple. A ascenção dessas empresas e a consequente migração de profissionais bem remunerados para a região foi mais rápida do que a capacidade do mercado imobiliário de atender a demanda por novos imóveis. Os preços subiram com tamanha velocidade que o aluguel virou regra. Poucos têm condições de comprar alguma coisa.

No ano passado, os aluguéis de San Francisco superaram os de Nova York pela primeira vez. Nas duas cidades, é praticamente impossível alugar qualquer coisa por menos de 1.500 dólares. Só que a média em San Francisco, de 3.100 dólares, já ultrapassa a média nova-iorquina, de 2.995 dólares, o que faz com que a cidade detenha a moradia mais cara dos Estados Unidos. Em South Beach, o bairro mais caro da cidade, um apartamento de um dormitório sai por 3.800 dólares mensais. Em tempos de dólar a 4 reais, é o mesmo que pagar 15.200 reais por um quarto-e-sala. Enquanto os preços só aumentarem, as prefeituras que se preparem para o que vem por aí.


Por Mariana Barros

>> Acompanhe o Cidades sem Fronteiras no Facebook // Siga no Twitter// E no Instagram

Continua após a publicidade
Publicidade