Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Você & Sua Carreira Por Sofia Esteves Este espaço pretende ser um “bate-papo digital” sobre carreira, crescimento profissional e mercado de trabalho – sem ditação de regras ou fórmulas prontas.

As informações que não podem faltar no currículo

Por Daniela Macedo - Atualizado em 10 fev 2017, 17h39 - Publicado em 28 jul 2015, 21h20

Sempre fico em dúvida sobre quais dados pessoais eu devo colocar no meu currículo. Dizer se sou solteira, se tenho filhos, por exemplo, faz diferença?

Supervisora, 28 anos.

 

Quando falamos em dados pessoais, os itens indispensáveis são:

Publicidade

• Nome completo;
• Data de nascimento em formato de dia, mês e ano;
• Endereço completo com CEP;
• Telefone para contato;
• E e-mail.

 

Publicidade

Sobre os emails, gostaria de fazer um comentário à parte: endereços como malucobeleza@xxx.com ou gatinha2012@xxx.com não causam boa impressão. Por isso, vale evitá-los. A informação sobre estado civil e filhos é opcional, assim como falar sobre hobbies e interesses pessoais.

E já que o assunto é CV, aproveito para falar também sobre as informações imprescindíveis. Além dos dados pessoais, não podem ficar de fora:

• Objetivos;
• Histórico profissional;
• Formação acadêmica;
• Idiomas;
• Cursos, seminários e eventos;
• E outras experiências.

 

Publicidade

No campo “objetivo”, coloque a área de interesse ou cargo pretendido. O ideal é ter apenas uma opção.  Se quiser colocar mais de uma, lembre-se de que ela tem que estar relacionada à sua trajetória profissional. Se estiver procurando uma posição superior à que ocupa atualmente, ela deve ser um degrau acima apenas.

Em “histórico profissional”, o recomendado é que as experiências sejam descritas da mais recente para a mais antiga. Inclua o período total em que ficou na companhia, com mês e ano de entrada e saída. Ao lado do nome da empresa, é recomendado incluir uma breve descrição, com a nacionalidade, porte e segmento daquela organização. Abaixo do nome da empresa, inclua cada cargo pelo qual passou e o tempo que ficou em cada um deles. Em seguida, coloque uma breve descrição das atividades realizadas, assim como principais projetos realizados e resultados alcançados.

A formação acadêmica deve incluir os cursos técnicos, os de graduação, pós-graduação, MBAs, especializações, mestrado e doutorado. Coloque seus cursos em ordem cronológica e de importância (o título ou diploma mais importante vem primeiro).

Em “idiomas”, coloque seu real nível de conhecimento em línguas estrangeiras. Seja sincero em suas qualificações sempre, porque qualquer passo em falso pode comprometer o resultado que deseja alcançar.

Publicidade

Sobre cursos seminários e eventos, cite apenas os que têm mais relevância para sua carreira. Em relação a outras experiências, a ideia é a mesma. Devem ser descritas experiências de vida e de trabalho que tenham sido relevantes para sua trajetória profissional. Por exemplo: viagem de 3 meses para Europa para uma pesquisa de mercado, monitoria no curso de Engenharia Civil etc. Nesse tópico também pode ser citada uma segunda atividade profissional, se tiver.

Por último, quero deixar só mais uma dica: a não ser que seja expressamente solicitado pela empresa para a qual está enviando o currículo, não inclua foto ou pretensão salarial. Deixe que o entrevistador descubra quem você é e quanto deseja ganhar pessoalmente.  Boa sorte!

**

Por: Sofia Esteves, fundadora do grupo DMRH e Cia de Talentos

Publicidade

Envie suas dúvidas e sugestões para vejacarreira@gmail.com

Publicidade