Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seria Bolsonaro um agente do PT?

O discurso do deputado durante a votação do impeachment ajudou tanto a presidente que passei a acreditar que ele é um agente do PT infiltrado na oposição

Nas últimas semanas, o governo Dilma tentou de todo jeito emplacar a narrativa de que o processo de impeachment é um golpe protagonizado pelas mesmas “elites conservadoras avessas à democracia que depuseram Jango em 1964”.

É uma história sem pé nem cabeça, mas sempre haverá gente disposta a acreditar no que o PT quiser. Conhecemos há algum tempo o poder do partido de impor sua narrativa sobre a política brasileira e direcionar a atenção da imprensa para os fatos que o favorecem.

Diante desse poder, o que faz o deputado Jair Bolsonaro, um dos antipetistas mais conhecidos do país? Faz exatamente o que Dilma precisava para posar como vítima de golpistas. Resgata 1964 e oferece o voto ao ex-chefe do DOI-CODI:

– Nesse dia de glória para o povo brasileiro, tem um nome que entrará para a história nessa data, pela forma como conduziu os trabalhos da Casa: parabéns presidente Eduardo Cunha. Perderam em 1964, perderam agora em 2016. Pela família e pela inocência das crianças em salas de aula que o PT nunca teve. Contra o comunismo, pela nossa liberdade. Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, pelo exército de Caxias do Sul, pelas Forças Armadas, por um Brasil acima de tudo, por Deus acima de tudo, meu voto é sim.

É incrível o estrago que Bolsonaro fez durante o voto. Em 50 segundos, perdeu qualquer chance à presidência em 2018 (discursou para a minoria fiel, não para o grosso do eleitorado), elogiou Eduardo Cunha e deu força ao discurso vitimista de Dilma. A presidente sambou em cima. Na terça-feira, usou as palavras de Bolsonaro para bancar a defensora da democracia e dizer que o Brasil tem um “veio golpista adormecido”.

Com um inimigo desses, quem precisa de amigos?

Vejo duas explicações para a mancada de Bolsonaro. Ou ele é politicamente inapto, incapaz de entender que desempenhou o papel que o PT esperava dele, ou errou de propósito só para beneficiar Dilma. Seu discurso ajudou tanto a presidente que passei a acreditar que o deputado é um agente do PT infiltrado na oposição.

Bolsonaro x Jean Wyllys

No artigo de segunda-feira, afirmei que Jean Wyllys e Jair Bolsonaro são personagens simétricos, gêmeos que brigam. Também disse que Bolsonaro se sai um pouco melhor porque quer apenas que cada um viva no seu canto, enquanto Jean Wyllys tenta proibir tudo o que não gosta.

Um amigo me convenceu do contrário: pior que Jean Wyllys só Jair Bolsonaro. O ex-BBB faz uma vergonhosa vista grossa para a tortura em Cuba, mas Bolsonaro vai um pouco mais longe. Repare que ele usou a expressão “o terror de Dilma” para se referir ao coronel Brilhante Ustra. A expressão sugere que Bolsonaro não só admite como se vangloria da tortura da ditadura militar.

Uma coisa é considerar a tortura defensável em casos extremos; outra é se vangloriar dela. Se fosse preciso torturar um terrorista para evitar a explosão de uma bomba atômica em uma metrópole, muita gente consideraria moralmente correto torturar. Mas mesmo nesse caso a tortura seria um ato lamentável, do qual se deve ter vergonha. Festejá-lo ou celebrá-lo continua detestável.

Do mesmo modo, mesmo que alguém chegue à conclusão de que foi preciso torturar para evitar uma revolução comunista no Brasil (que nos faria tanto mal quanto meia dúzia de bombas H), seria baixo vangloriar-se disso.

Que pena, Bolsonaro. Bastava ter dito “sim”.

@lnarloch

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Herculano

    A realidade é que algumas pessoas que apresentam estas colunas da revista veja, são em parte “PTistas”, “Esquerdistas”, “Comunistas”….
    Por isso fazem esses comentários, querendo induzir as pessoas a acreditarem nas histórias deles….
    Bom dia…

    Curtir

  2. Comentado por:

    Rodrigo

    Leandro
    Era só o que faltava: Bolsonaro, agente petista. Bolsonaro tem seus desequilíbrios (lamentável a citação de Ulstra), mas assim já é demais. É até engraçado. Tome cuidado para não exagerar, Leandro, caso contrário, cometerá erros de julgamento da mesma forma que cometeu em seu livro, ao fazer uma avaliação precipitada e mentirosa de Santos Dumont. Que grande bobagem aquela. Você tem muita imaginação, não nego que tenha valor, mas falta-lhe profundidade e estudo em determinadas situações.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Leonidas

    Tenham certeza!
    a homenagem do deputado Jair Bolsonaro ao coronel Ustra, somente atingiu os comunalhas.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Vô Nelson

    Venho com muito atraso, lamento por isso. Mas, embora admirando muito o amigo, discordo do artigo. Formou-se na inteligência de um modo geral, a convicção do espectro maléfico de Jair Bolsonaro. Ao ponto de o desconsiderarem como apenas representante de uma “minoria fiel”. Não é o que se tem visto por aí. Apartando-se do seu comportamento “politicamente incorreto”, uma parte enorme da população – enorme – tem observado e apoiado o militar por falar a verdade. Como são raríssimos os políticos sinceros e leais, (praticamente não existem), Jair Bolsonaro, sim ele mesmo, periga ser o futuro presidente da república. Aqui quem escreve não é fiel a ele, não é minoria admiradora, não é nada disso. É apenas um que acompanha atentamente a evolução das coisas. Poderá sair pela esquerda marina, jaques se não estiver preso, serra, alkmin, ciro, aécio e outros sempre na base do mais do mesmo. O tenente ou sei lá o que poderá papar essa gente toda. O seu comentário cuja intenção é desconstruir deve ser revisado se for honesto. Abraços.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Carlos Santos

    O colunista pode se juntar a Reinaldo Azevedo. Por favor não se junto a Olavo de Carvalho, o pessoal dele estuda muito e não vai ter espaço para vocês. Ah, e lá ninguém quer posar de bom-moço.

    Curtir

  6. Comentado por:

    JottaJotta

    Muitos deputados do PT e do PSOL também fizeram homenagens ao Mariguela e ao Lamarca ambos terroristas assassinos comunistas no período do Regime Militar e ninguém fala nada. Um pouco de história não faz mal a ninguém.
    Lula já elogiou o General Geisel e o General Médici, ambos do Regime Militar e não vi os esquerdistas falarem nada para criticá-lo, ficam caladinhos com o rabo entre as pernas. Quando é o Bolsonaro que fala é pq ele é torturador e fascista, mas o Lula pode elogiar o Regime Militar, mas o Bolsonaro não. O nome disso pra mim é hipocrisia e alienação

    Curtir

  7. Comentado por:

    Daniel

    Venho com atraso, mas você e o Reinalda Azeda se combinam.
    Aliás, o seu devaneio se deve ao fato da maconha ou da alucinação causada pelo LSD?
    Em 50 segundos, a maioria ficou indignado como você, mas em menos de 12 horas, essa maioria foi atrás do livro do Ustra, A Verdade Sufocada.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Gabriel

    Oooooooooo Canabbis das brava kkk

    Curtir

  9. Comentado por:

    Felipe

    Venho com atraso dizer: não fala merda amigo!
    Bolsonaro é apenas a pura imagem da direita desqualificada que temos no Brasil mesmo.

    Curtir