Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mito: “a menor velocidade das marginais de São Paulo segue uma tendência mundial”

Nas “marginais” de Nova York, Londres, Los Angeles e Paris, os limites de velocidade são mais altos que nas marginais paulistanas

Muitos colunistas têm repetido que a redução da velocidade nas marginais de São Paulo segue uma tendência já vista em outras metrópoles. Meu colega Roberto Pompeu de Toledo, na VEJA desta semana, afirma que se o prefeito eleito João Doria cumprir a promessa de campanha e elevar os limites das marginais, agirá “na contramão do que hoje é norma nos principais centros urbanos do mundo”. Na Folha de hoje, Leão Serva vai na mesma linha.

Essa afirmação é correta apenas para a velocidade de ruas e avenidas internas. Mas é um mito em se tratando das rápidas perimetrais, onde a norma são limites mais altos que os de São Paulo.

Na Henry Hudson Parkway, que contorna o oeste da ilha de Manhattan, a velocidade máxima é 50 milhas por hora (80 km/h). Esse é o mesmo limite da North Circular Road, de Londres, como eu já contei anteriormente. Essa avenida corta as zonas 2 e 3 de Londres e em muitos trechos é mais próxima a casas e comércios que a marginal Tietê ou Pinheiros.

Nas “freeways” de Los Angeles, nem se fala: o limite de velocidade é 65 milhas por hora (104 km/h).

Em Paris, o Boulevard Périphérique define o centro expandido da cidade, assim como as marginais paulistanas. Os motoristas podem dirigir por ali a 70 km/h. Em São Paulo, os limites impostos pelo prefeito Fernando Haddad vão de 70 km/h na pista expressa a 50 km/h na pista local.

Vejam: não estou falando de anéis viários, rodovias que contornam as cidades. Esses três exemplos são perimetrais, construídas com o mesmo objetivo de interligar a cidade por meio de avenidas que contornam o centro.

O argumento da “tendência mundial” vale a redução da velocidade em ruas e avenidas, não para rápidas perimetrais. Limites de velocidade tão baixos nas marginais de São Paulo são uma anomalia se comparados a outras metrópoles pelo mundo.

@lnarloch

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Caio Gubel

    Quanto a frase “Nas “freeways” de Los Angeles, nem se fala: o limite de velocidade é 65 milhas por hora (104 km/h).”, me permitam fazer um reparo: Passo em duas delas quase todo dia e posso garantir que a velocidade média está próxima de 80 milhas por hora apesar do limite legal de 65 milhas por hora e digo mais, carros da polícia rodoviária passam ao seu lado toda hora e solenemente ignoram o fato.

    Curtir

  2. Comentado por:

    umberto melo

    NADA, absolutamente NADA que vem do pt serve para o BRASIL !!!

    Curtir

  3. Gustavo G.R.

    Infelizmente, há muitas pessoas que dão mais valor para alguns segundos de vantagem do que vidas preservadas. Talvez, assim que elas perderem alguém ou sofrerem um acidente nestas vias porque não houve tempo suficiente de frenagem, por exemplo, elas mudem de opinião. Qual o valor da vida? A sua vida?

    Curtir