Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Caçador de Mitos Por Leandro Narloch Uma visão politicamente incorreta da história, ciência e economia

Minha promessa: elegância

Por Leandro Narloch Atualizado em 31 jul 2020, 02h31 - Publicado em 4 dez 2014, 09h59

Caro leitor, começo esta coluna com entusiasmo e dois objetivos. O primeiro é perseguir equívocos. Meu alvo é a “linguagem Lego”, o costume de pensar “encaixando frases pré-fabricadas de plástico oco”, como descreve o historiador Timothy Garton Ash. Há clichês politicamente corretos e sem consistência posando por aí como edifícios de concreto; minha missão será analisá-los e desmontá-los.

O segundo objetivo é ser elegante.

A internet está cheia demais de opiniões barulhentas, rótulos e argumentos contra a pessoa. Um proselitismo raivoso vem sabotando até mesmo quem tem ótimas ideias. A estridência ganha cliques, curtidas e seguidores, mas é um espantalho para os leitores que não morrem de amor por ideologias ou partidos. Nesse caso, ela não só espanta, também imuniza os leitores contra a mensagem.

Por isso quero discutir ideias, e não pessoas. Vou defender minha posição com equilíbrio, sem gritos de guerra. Vou ser moderado quando possível; se tiver que defender uma posição radical, farei isso sem histeria. E prometo me esforçar para ter a generosidade intelectual de quem mostra os pontos fracos da própria argumentação.

Estarei por aqui todas as terças, quando devo falar sobre um grande debate, uma questão que inquieta cientistas e pensadores; e às quintas, dia de derrubar mitos e equívocos do bom-mocismo.

Tomara que você goste.

Continua após a publicidade

Publicidade