Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marcos Bagno, o avesso de um intelectual

Intolerante a qualquer sombra de divergência, o professor da UnB é o contrário do que se espera de um acadêmico

Marcos Bagno, professor de linguística da Universidade de Brasília, chocou brasileiros ao publicar o seguinte post, logo depois dos resultados do primeiro turno:

bagno3

Com a repercussão negativa, Bagno apagou o texto no dia seguinte, tentou se explicar e depois apagou também a explicação. Mas suas outras publicações ainda estão lá. E elas nos permitem conhecer a estranha personalidade desse homem.

Marcos Bagno enxerga o mundo como um desenho de animado ruim (nem mesmo os desenhos são tão maniqueístas hoje). Repare no que ele fala sobre Michel Temer e veja se não parece a descrição de Gargamel, o vilão dos Smurfs:

…o energúmeno-mor, o grande rato de esgoto, o verme supremo que infecta vermes é a própria personificação do mal gratuito, da sanha de destruir por destruir.

O procurador federal Deltan Dallagnol é “branquelinho fascistazinho tucaninho escrotinho de merda”. Mendonça Filho: “verme que dizem ser ministro da educação”.

Bagno costuma criticar religiões em seu perfil do Facebook, mas age como um crente tomado pelo radicalismo típico de recém-convertidos, apesar de ter se convertido há décadas. Sobre o apresentador Fausto Silva, fala como um neopentecostal durante um ato de exorcismo:

Corro léguas de qualquer ambiente em que sua imagem asquerosa e gosmenta esteja sendo projetada. Prezo pelo meu estômago. Tenho total irrestrito absoluto completo e infinito NOJO dessa criatura.

O mais grave sobre Marcos Bagno não são tanto suas opiniões, mas sua postura intelectual. Pensar como ele é fácil: há o Bem (os iluminados do PT e da esquerda em geral), e quem expressar a mais leve discordância ou questionamento é “fascista”.

É comum, nos subterrâneos fétidos da internet, o costume de usar o termo “fascista” com o sentido de “aquele que não concorda comigo”. Mas Bagno vai além – faz desse costume sua profissão, seu objeto de estudo, como descreveu meu vizinho Reinaldo Azevedo. O professor dedica a vida a estudar o preconceito linguístico, mas só o que faz é reproduzir preconceitos.

Intelectuais elegantes costumam colocar o próprio conhecimento à prova. Discutem pontos fracos de suas teses e mostram como se poderia provar que estão errados. Nada mais distante de Marcos Bagno. Ele é incapaz de enxergar ou se interessar por fragilidades de sua opinião. Não sabe o que é autocrítica.

Como pode um homem tao avesso à atividade intelectual perdurar numa das principais universidades do país? Alguém assim só sobrevive se estiver num ambiente isolado do mundo real pelos portões da universidade, um ambiente em que professores dificilmente serão demitidos mesmo se descuidarem da qualidade de ensino e de seus estudos. Ao se esgoelar contra Temer, que promoveria a falência do ensino público, Bagno é em si mesmo a prova da falência do ensino público.

Houve um tempo em que intelectuais de peso sustentavam a esquerda. Gramsci, Habermas, grandes teóricos que discutiam o marxismo e o caminho para a hegemonia marxista. Triste ver a esquerda hoje, tendo que se contentar com um Tiozão da Caps Lock que passa o dia chamando os outros de fascistas na internet.

@lnarloch

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Adelson Paulo

    A recente multiplicação de cursos universitários, turbinada por vultosas verbas públicas, ocorreu preponderantemente nos cursos das áreas humanas, que demandam menores investimentos em infra-estrutura, e possibilitam a graduação de estudantes com menor aptidão intelectual. Com isto, foi despejada em nossa sociedade uma legião de filósofos, historiadores, sociólogos, pedagogos, etc., com graves deficiências de formação cultural e intelectual, mas plenos de verdades e prontos a descarregar suas frustrações pessoas e profissionais em discursos prepotentes e pretensamente transformadores da sociedade capitalista. Tristes trópicos.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Iara

    Quando irão processar essa besta quadrada? Por muito menos, querem processar o Bolsonaro por incitação à violência contra a mulher. Fora Marcos Bagno!!!!!!

    Curtir

  3. Comentado por:

    Octávio

    Trata-se de um esquizofrênico em pleno surto psicótico. Mas quando passa o acesso de fúria é só um covarde, vai lá e apaga tudo. Atende bem aos traços psíquicos dos militantes de esquerda.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Duke Vespasiano

    Acontece que a direita, principalmente a turminha Olavete, faz exatamente a mesma coisa. São raivosos, agressivos, messiânicos, difamadores e intolerantes da mesma forma. As provas estão aos montes aí na internet. O fanatismo é o comportamento mais democrático do mundo. Não escolhe lado, idade, cor ou credo, e está em todas as faixas do espectro político.

    Curtir

  5. Comentado por:

    PAULO LIMA

    Imagine as aulas desse senhor… Nada doutrinadoras, certamente… Nada impregnadas de fanatismo marxista…

    Curtir

  6. Comentado por:

    Marcos

    Sou estudante de Federal, do PR. E digo que realmente é bem triste ter pessoas assim, e não são poucas. Semestres inteiros perdidos pela atuação política de pregação e convencimento descaradas, matérias como economia, ética, sociologia e seus conteúdos são “curvados à ótica” da ideologia. E pense em falar de números, pontos de vista ou qualquer informação que não siga as palavras abençoadas, e verá suas chances e espaço de estudo fragmentando-se em poucos segundos. Sou contra a lei da mordaça, não por achar que ela é ruim, na verdade esta lei nasce por motivos reais, há sim no ambiente estudantil um sistemático ensino partidário e mentiroso, excludente e que protege alunos que se colocam como militantes. Sou contra pois essa lei não impedirá pessoas como este “educador” de agir porcamente más só criará mais veneno em forma de teorias e narrativas para os partidos de esquerda e seus professores e alunos adestrados, os quais vivem de criar um mundo irreal para afagar seus egos, e pior, para impor aos todos os outros sua visão distorcida do mundo.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Virgínia

    Perfeito! O mais triste é que Bagno representa perfeitamente a maioria dos professores universitários deste país… São poucos os que mantêm uma postura verdadeiramente acadêmica, de intelectual. Talvez Bagno seja mais enfático em seus posts, mas a intolerância ao contraditório e o embate, não por meio do debate de ideias, mas de insultos gratuitos, é a tática que eles usam para desqualificar e intimidar aqueles que se recusam a se curvar às suas ideias.

    Curtir

  8. Comentado por:

    ZÉ CEJAMES

    Esse rapaz sofreu abuso na infância ou na adolescência ?? Era espancado pelos familiares ?? As duas coisas juntas aliada a bullyng escolar ?? é corintiano ?? Psiquiatras , psicanalistas e neurologistas devem examinar a figura. Minha opinião é a de que se jogar na fossa fecal, estraga a zerda.

    Curtir

  9. Comentado por:

    Mauro Jansen

    A intolerancia com o intolerante. Hoje, a ditadura dosn politicamente corretos. É ………

    Curtir

  10. Comentado por:

    PAULO ROBERTO DA SILVA

    Não pode demitir uma monstro desse tamanho???

    Curtir