Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

Jaques Wagner: Palocci é ‘trambiqueiro’ e Haddad é candidato natural do PT

O senador petista afirmou que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad é o 'nome' do partido para disputar a presidência em 2022

Por Rodrigo Daniel Silva - Atualizado em 29 abr 2019, 15h59 - Publicado em 29 abr 2019, 12h02

O senador e ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), chamou, nesta segunda-feira, 29, o ex-ministro Antonio Palocci de “trambiqueiro” e disse que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, é o “nome natural” do PT para disputar a Presidência em 2022.

Wagner afirmou que o ex-ministro fechou um acordo de delação premiada para manter parte do patrimônio. “Palocci faz a delação e sai com 30, 40 milhões no bolso. O Lula era chefe dele. Como é que ele tem 30, 40 milhões e ele [Lula] não tem uma banda de conta? Quem é o trambiqueiro? O Lula ou o Palocci?”, questionou, em entrevista à rádio Metrópole.

O senador disse, também, que, apesar de o governador da Bahia, Rui Costa, ser “lembrado” como um nome para disputar o Palácio do Planalto em 2022, Haddad é o candidato natural. “Acho que o nome natural hoje da Presidência é o Haddad, porque já foi testado e teve 47 milhões de votos, mas tem muita água para rolar ainda”, declarou.

Wagner não descartou a hipótese de ser candidato a governador da Bahia em 2022. Ressaltou que a intenção hoje é encerrar o mandato de senador em 2026, mas pode disputar o governo para evitar o racha em seu grupo político.

Publicidade

“Se a gente não conseguir um entendimento, muita gente diz que meu nome congrega todo mundo. Mas eu digo, com sinceridade, essa não é minha vontade [disputar a eleição]. Quero terminar meu mandato”, ressaltou.

Publicidade