Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

Com críticas ao PT, DEM anuncia neutralidade no segundo turno

Presidente da sigla e prefeito de Salvador, ACM Neto liberou filiados; ele afirmou que novos tempos na política não admitem mais mensalão e petrolão

Por Rodrigo Daniel Silva Atualizado em 10 out 2018, 13h39 - Publicado em 10 out 2018, 12h18

Presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto afirmou nesta quarta-feira que o seu partido decidiu ficar neutro no segundo turno da eleição presidencial e liberar os filiados para manifestar posições pessoais. O partido apoiou Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno.

Em nota, ACM Neto não faz referência ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), mas alfineta o PT de Fernando Haddad, ao dizer que “neste novo tempo que se anuncia, não cabem invasão e destruição de propriedades, e muito menos mensalão ou petrolão”.

O presidente do DEM afirma, ainda, que o momento atual não permite mais o “toma lá dá cá da velha política”.

  • “[Queremos] governar com os mais qualificados e ter responsabilidade fiscal. Encontrar uma solução para os mais de 13 milhões de brasileiros que estão desempregados. É hora de enfrentar, com coragem e determinação, o desafio de soerguer o nosso país. Ficam, assim, os nossos líderes e militantes de todo Brasil liberados para, seguindo as suas convicções, apresentarem a sua manifestação de voto neste segundo turno”, disse ACM Neto.

    O prefeito convocou a imprensa para uma coletiva pela tarde para manifestar a sua posição pessoal. Em recente entrevista, já tinha dito que não ficaria “em cima do muro” em “nenhuma hipótese”.

    Continua após a publicidade
    Publicidade