Clique e assine a partir de 9,90/mês
Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

ACM Neto quer reunião da ONU sobre clima sem participação do governo

Segundo o prefeito de Salvador, o evento é importante para a economia da cidade e para mostrar os programas desenvolvidos dentro da agenda climática

Por Rodrigo Daniel Silva - Atualizado em 15 Maio 2019, 08h00 - Publicado em 14 Maio 2019, 21h35

Presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, quer realizar na sua cidade o evento organizado pela Convenção da ONU sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC) mesmo sem a participação do governo federal. A Semana Climática América Latina e Caribe estava prevista para acontecer nos dias 19 e 23 de agosto na capital baiana, mas foi cancelada por ordem do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Em uma postagem no Twitter, o prefeito soteropolitano disse que pediu ao secretário municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), André Fraga, que conversasse com os representantes para manter o evento em Salvador. “A prefeitura não vai medir esforços para que este evento de repercussão mundial aconteça na primeira capital do Brasil. A realização desta Conferência em Salvador é muito importante para a economia da cidade e para mostrarmos os programas que estamos desenvolvendo dentro da agenda climática”, disse ACM Neto.

O Brasil já tinha desistido de sediar a COP-25 em dezembro, por decisão de Jair Bolsonaro (PSL), ainda na condição de presidente eleito. Na época, o governo federal declarou que o “custo de mais de 500 milhões de reais” e a possibilidade de haver “constrangimento do governo” motivaram o cancelamento. Em entrevista ao blog de Andréia Sadi, do portal G1, o ministro Ricardo Salles detalhou as razões.

“Vou manter um encontro que vai preparar um outro (COP-25), que não vai acontecer mais no Brasil, por quê? Não faz o menor sentido, vai para o Chile! Vou fazer uma reunião para a turma ter oportunidade de fazer turismo em Salvador? Comer acarajé?”, indagou.

Publicidade