Clique e assine a partir de 8,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Vlady Oliver: Rinocerontes

Ao contemplar a foto do novo ministério, o socialismo do século 21, uma espécie de Trabant que chora na rampa e consome todo o combustível disponível para o trajeto, faz beicinho duro e quer se projetar como moderno, inclusivo e tolerante com as minorias

Por Branca Nunes - Atualizado em 30 jul 2020, 22h43 - Publicado em 14 Maio 2016, 18h55

Acho que o governo Temer está mal representado de rinocerontes. Sendo assim, é justo que algum filhote do Cacareco, de saudosa memória, seja incorporado às hostes administrativas do novo governo que mal se inicia. Vamos combinar, meus caros amigos. O eleitorado brasileiro tem uma propensão gigantesca a ser enganado pelas aparências, votando nos Cacarecos, macacos Tião, Tiriricas e outras minorias estridentes e de igual teor de representatividade rumbeira. Depois se danam.

Um ministério de governo não é o ajuntamento de uma fauna para uma foto. Antes de tudo, é um quadro administrativo. Nele cabem mulheres, negros, brancos, homo e heterossexuais, sem que isso precise ser uma norma ou uma bandeira. Apenas acontece o pronto, se os critérios forem do mérito e da representatividade. Por este prisma, o governo Temer simplesmente plantou dois superministros em sua pasta – os dois “belíssimos” presidenciáveis Henrique Meirelles e José Serra – e usou todo o resto dos ministeriáveis como massa de barganha para obter apoio político no Congresso, onde vai precisar de força para aprovar medidas muito impopulares na seara econômica.

Foi brilhante, com todos os seus capengas. É o que dá para ser feito nesse maldito presidencialismo de coalizão, cercado de partidos de fachada por todos os lados. Disso ninguém reclama. É claro que o socialismo do século 21, uma espécie de Trabant que chora na rampa e consome todo o combustível disponível para o trajeto, faz beicinho duro e quer se projetar como moderno, inclusivo e tolerante com as minorias. Por isso eles não se acanham em dizer que o governo liberal de Michel Temer é a imagem do atraso, seja lá o que eles considerem atraso.

Eu, por exemplo, considero atraso o que eles fizeram com a nossa sociedade, especialmente a produtiva. Quanto ao novo governo, não vimos resultados ainda. Fica evidente portanto o quanto essa gente é preconceituosa, limitada, oportunista e rumbeira, tentando de todas as formas desqualificar o que mal mostrou a que veio. Hoje era o dia para estes comunistas em botão perderem seu tempo explicando o que foi que deu tão errado num governo inclusivo, tolerante, diversificado e voltado para os pobres como o que eles protagonizaram cretinamente. Não o farão. Eles não conseguem ver nada de errado em si mesmos, enquanto veem tudo de errado nos outros.

Que fique claro uma coisa: Também me solidarizo com o fato de não termos mulheres e negros em número expressivo, não no governo, mas na vanguarda de uma sociedade que se diz plural e inclusiva. Isso, o governo patético e petético da mamulenga e seu dono – lulão da Silva – não cuidou de melhorar um milímetro, desde que ganharam as eleições, há treze longos anos. Ora, vão pro inferno.

Continua após a publicidade
Publicidade