Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Tio Patinhas da corrupção

Sérgio Cabral abandona a política e passa a dedicar-se à comédia

Por Augusto Nunes 2 Maio 2017, 10h18

“Eu não posso negar que houve uso de caixa dois e houve uso de sobra de campanha de recurso em função de eu ter sido um político sempre com um desempenho eleitoral muito forte no Estado. Financiamento acontecia e esses fatos são reais”. (Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, chamado por Fernando Gabeira de “Tio Patinhas da corrupção”, jurando durante o depoimento a Sérgio Moro que os R$ 300 milhões que tungou dos cofres do Estado, mais os diamantes e as barras de ouro que guardou no exterior, são fruto de caixa dois)

Publicidade