Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Surra golpista

Dilma desconfia que o fiasco da candidatura ao Senado foi um golpe do eleitorado mineiro

Por Augusto Nunes - 15 jun 2020, 15h34

“Sempre que descem do muro, os tucanos descem para o lado errado. O partido deu início ao movimento que levou ao golpe de 2016 e liderou a sabotagem movida contra mim no Congresso. Participou do governo golpista e, hoje, se acumplicia com um governo fascista”. (Dilma Rousseff, ao comentar a decisão do PSDB de não apoiar o impeachment de Bolsonaro, negando-se a esclarecer se a surra sofrida nas urnas de 2018 pela candidata ao Senado também foi um golpe do eleitorado mineiro)

Publicidade