Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Neurônio indecifrável

Dilma explica em dilmês que não apoia uma frente suprapartidária contra o governo, mas pode ser a favor de uma frente suprapartidária contra o governo

Por Augusto Nunes - 11 jun 2020, 15h15

“Fazer uma frente para quê? Uma frente que não assume que é para tirar o Bolsonaro, eu não sei para que ela deve ser feita. Uma frente só pode ter sentido se é para o Bolsonaro. País nenhum faz frente se não for em torno de um objetivo claro”. (Dilma Rousseff, em entrevista ao jornal espanhol El País, recitando em dilmês o que o chefe Lula disse em péssimo português e mandou que repetisse, ainda sem conseguir explicar se é favorável ou contrária à formação de uma “frente suprapartidária” contra o governo federal)

Publicidade