Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Milionário perseguido

Lula ensina que, na novilíngua companheira, a palavra 'propina' foi substituída por 'doação'

Por Augusto Nunes Atualizado em 30 jul 2017, 22h58 - Publicado em 30 jul 2017, 22h56

“Os empresários sempre deram dinheiro pra caramba. Eu não conheço um político em Manaus ou em São Paulo que vendeu casa para ser candidato. Todos eles pedem dinheiro para empresário, a vida inteira, desde que foi proclamada a República. A palavra propina foi inventada pelos empresários para tentarem culpar os políticos. Ou pelo Ministério Público. A diferença é que agora transformaram as doações em propina, então ficou tudo criminoso”. (Lula, fundador e presidente de honra do Movimento pela Descriminalização da Corrupção (MDC), em entrevista à Rádio Tiradentes do Amazonas, ensinando que o triplex no Guarujá, o sítio em Atibaia, as palestras de meio milhão de reais ou as boladas que embolsou como camelô de empreiteira, fora o resto, são doações perfeitamente legais que têm cara de propina por culpa de empresários cruéis, de procuradores a serviço da CIA, da imprensa golpista, do Departamento de Propinas da Odebrecht e, claro, de FHC)

Publicidade