Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Medo de cadeia (31)

Joesley Batista pede ajuda ao irmão caçula para explicar que não quis dizer o que disse

Por Augusto Nunes Atualizado em 7 set 2017, 12h46 - Publicado em 7 set 2017, 12h39

“A todos que tomaram conhecimento da nossa conversa, por meio de áudio por nós entregue à PGR, em cumprimento ao nosso acordo de colaboração, esclarecemos que as referências feitas por nós ao Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral da República e aos Excelentíssimos Senhores e Senhoras Ministros do Supremo Tribunal Federal não guardam nenhuma conexão com a verdade. Não temos conhecimento de nenhum ato ilícito cometido por nenhuma dessas autoridades. O que nós falamos não é verdade, pedimos as mais sinceras desculpas por este ato desrespeitoso e vergonhoso e reiteramos o nosso mais profundo respeito aos Ministros e Ministras do Supremo Tribunal Federal, ao Procurador-Geral da República e a todos os membros do Ministério Público”. (Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, na nota divulgada pouco depois de Joesley descobrir que havia divulgado sem querer ele próprio confessando uma série de crimes, explicando que, embora tenha dito o que disse, não quis dizer o que foi dito)

Publicidade