Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Dois em um

Lewandowski confunde Luiz Inácio com José Dirceu e confirma que falta espaço na memória para tantos bandidos de estimação

Por Augusto Nunes - Atualizado em 26 abr 2019, 20h15 - Publicado em 26 abr 2019, 18h08

“Tendo chegado ao conhecimento deste Relator, por informação constante no documento eletrônico 51, que o Senhor Superintendente da Polícia Federal no Paraná, Delegado Luciano Flores Lima, por meio de despacho exarado no Processo 08385.013484/2018-29, autorizou que as entrevistas do ex-Presidente José Inácio Lula da Silva, atualmente sob sua custodia, asseguradas pelo Supremo Tribunal Federal, nas Reclamações. 31.965/PR e 32.035/PR, aos jornalistas Florestan Fernandes Júnior e Mônica Bergamo, marcadas pera o dia 26/04/19, sejam realizadas “na presença de outros jornalistas , além daqueles já nominados”, esclareço que a decisão da Corte restringe-se exclusivamente aos profissionais da imprensa supra mencionados, vedada a participação de quaisquer outras pessoas, salvo as equipes técnicas destes, sempre mediante a anuência do custodiado”. (Ricardo Lewandowski, ministro do STF, no despacho em que autorizou o ex-presidente presidiário a conceder entrevistas dentro da sede da Polícia Federal em Curitiba, fundindo os nomes de Luiz Inácio Lula da Silva e José Dirceu e reforçando a suspeita de que já falta espaço na memória para tantos bandidos de estimação)

Publicidade