Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Camelô de empreiteira (2)

Lula começou a desconfiar que, enquanto a fantasia de Pai dos Pobres rende votos, o papel de Mãe dos Ricos pode dar cadeia

Por Augusto Nunes - 13 mar 2020, 14h34

“É o governo que tem de investir para gerar confiança. Incluir o pobre no orçamento não custa nada. E ainda dá retorno. Enquanto o rico custa caro e ainda dá golpe”. (Lula, numa discurseira em Berlim, sem explicar se estão incluídos na categoria dos “ricos que custam caro e ainda dão o golpe” os bilionários que retribuíram com propinas recordistas os favores prestados pelo ex-presidente que inventou o ofício de camelô de empreiteira e chefiou o maior esquema corrupto da história)

Publicidade