Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Amante atriz

A ré Gleisi Hoffmann consegue dissertar sobre o papel dos magistrados sem ficar ruborizada

Por Augusto Nunes - 19 jul 2019, 14h15

A lei proíbe interferência de juízes em acordos de delação, mas Moro mesmo assim influenciou. Diálogos mostram que o ‘russo’ precisava ser consultado. Papel do magistrado é atestar a legalidade do acordo depois de fechado e não influenciar. Moro moralista sem moral”. (Gleisi Hoffmann, deputada federal e presidente do PT, revelando que a ré conhecida pelo codinome Amante no Departamento de Propinas da Odebrecht consegue dissertar sobre o papel dos juízes, a moral e os bons costumes sem ficar ruborizada)

Publicidade