Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pressionada por Aécio no debate do SBT, a presidente que se gabou de resistir a pressões 24 horas por dia perde o rumo no meio da entrevista e culpa a pressão

Na noite de 11 de setembro, sentada no banco de trás do carro que seguia para o hotel no Rio, a repórter da Folha que acompanhava Marina Silva perguntou à candidata o que achara dos ataques que Lula lhe fizera na véspera. Marina, segundo a jornalista, teve de conter o choro enquanto murmurava, com voz embargada, […]

Na noite de 11 de setembro, sentada no banco de trás do carro que seguia para o hotel no Rio, a repórter da Folha que acompanhava Marina Silva perguntou à candidata o que achara dos ataques que Lula lhe fizera na véspera. Marina, segundo a jornalista, teve de conter o choro enquanto murmurava, com voz embargada, que não pretendia revidar às agressões verbais.

A reação naturalíssima não valia mais que uma nota no pé da página, mas foi noticiada com destaque. E Dilma Rousseff, instruída pelo marqueteiro João Santana, tentou transformar o choro que ninguém viu na prova definitiva de que Marina não estava preparada para governar o país. “Presidente da República sofre pressão 24 horas por dia”, caprichou no dilmês castiço. “Se a pessoa não quer ser pressionada, não quer ser criticada, se não quer que falem dela, não dá para ser presidente da República”.

Nesta quinta-feira, já no começo da entrevista concedida a uma repórter do SBT depois do debate com Aécio Neves, Dilma empacou no meio da palavra inequivoco: “Ineq,.. inequ… inequi…”, rateou o neurônio solitário.  “Eu não tô… muito… ” Talvez por falta de familiaridade com falatórios em dilmês despejados pela cabeça baldia, a repórter deduziu que a declarante estava se sentindo mal. “A pressão caiu”, agarrou-se a entrevistada à boia que caiu do céu.

Um copo de água com açúcar e alguns minutos numa cadeira bastaram para que tentasse retomar a discurseira inintelível. “Eu tive uma queda de pressão. Acredito que… é óbvio que um debate… ele é sempre … exige muito da gente”. gaguejou. A repórter explicou que, antes da pausa estranhíssima, dissera o suficiente para esgotar o tempo da entrevista. A carranca, o olhar colérico e as palavras rosnadas para a jornalista confirmaram que Dilma estava de volta à normalidade anormal.

Pressionada por Aécio Neves durante o debate que durou 100 minutos, a mulher que se gabou de resistir a 24 horas de pressões por dia confessou que ficou desorientada por causa da pressão. Segundo o parecer que ela própria emitiu para desqualificar Marina Silva, Dilma não tem preparo físico e mental para ser presidente.

Algumas pancadas merecidíssimas são suficientes para afetar-lhe a saúde e mandar para o espaço o equilíbrio psicológico. Fica tão grogue que é nocauteada até por entrevistas de um minuto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Ronaldo força

    Hoje com a declaração do doleiro Youssef ela vai sair completamente tropega. Vai precisar de um fraldão, senão deixa o rastro. Além de cúmplice é , juntamento com o Lula, mentora de toda safadeza e ladroagem. Vai apelar para a queda de pressão. Pressão não fede.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Ronaldo força

    Na foto em questão, quem parece que está passando mal é a jornalista. Dilma parece uma lutadora, doida para dar um soco na jornalista. Vejam!

    Curtir

  3. Comentado por:

    joão Claudio

    Eu prefiro arriscar em uma nova gestão com propostas de renovação desse governo decaído…
    O risco tem que acontecer para que possamos assim analisar e ver qual dos governos estão trabalhando pra um Brasil melhor…
    Já vimos que Dilma em relação ao governo e ao futuro, não apresenta o que pelo menos eu quero… Mudanças pra melhor… Não quero uma atualização dos programas já realizados pelo governo de Dilma… Então, isso será pra mim, com essa visão, uma nova chance de um governo melhor… Apesar de todos os riscos de personalidade dos candidatos… Mas se não houver uma mudança mesmo com receios, não saberemos se é ou não… Já temos um não desse governo, e por que não ir atrás de um sim…?

    Curtir

  4. Comentado por:

    gpaulo

    Com o seu enlameado passado, a D. Dilma chegou muito longe. Fez para nõs brasileiros no apagar das luzes derradeiramente o aniquilamento do PT, até certo ponto justificavel por ter recebido uma herança maldita do maior empulhador que a vida politica do nosso País já teve.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Debora

    Todas as vezes que esta maldita passar mal, chamem um médico cubano para tratá-la.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Ary eduardo de Aguiar Ruch

    Caso se confirme as previsões do DataNunes,o Ibope e o Datafolha saem desta eleição, tão desmoralizados quanto o governo Dilma e levantando suspeitas quanto a um possível aparelhamento também destes orgãos de pesquisa. .Outro fato que causa preocupação é que, mesmo com um novo governo e idéias novas,a difusão da mentalidade fundamentalista petista ,incitadora do ódio,se alastre por intermédio de sua militância,ainda mais com o ressentimento da derrota.Não se vence facilmente um Câncer disseminado

    Curtir

  7. Comentado por:

    Emerson Tomaz de Lima

    A diferença do Brasil do PT para o Brasil do PSDB é óbvia. Ninguém é perfeito, mas o PT provou que não tem respeito nenhum por ninguém, muito menos pelo Brasil, ao se comportar como imperadores da obscuridade, descaradamente sujos e arrogantes e, além de distribuir dinheiro – o que só foi possível graças ao plano real e à era FHC – não fizeram nada de verdadeiramente bom pelo país.
    O jornalismo brasileiro, especialmente o telejornalismo, precisa ser rediscutido, pois obviamente faltam análises e comparações sérias que evitem esse absurdo que estamos vivendo. No mais, saúdo a coragem da Veja e do Grupo Abril, que, em minha opinião, saem desse longo e perigoso período com honra e patrimônio moral para muitas décadas.

    Curtir

  8. Comentado por:

    anonimo veneziando

    O ponto deu pane.

    Curtir

  9. Comentado por:

    Francisco Ramos

    A presidente, em verdade, bebeu água do volume mor
    to.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Costa

    A presidenta apanhou pouco, devia apanhar muito mais, pois achava que ia ganhar a eleição no primeiro turno, agora quem apóia essa quadrilha de corruptos e ladrões só pode fazer parte do bando.
    Nunca na história desse país teve um governo tão corrupto, agora tem uns milpes que ainda defendem esse tipo de gente.
    Por favor companheiro leia um pouco mais para entender que o país esta mergulhado num abismo sem volta, ou mudamos e tiramos essa gentalha do poder ou vamos virar uma republiqueta igual Cuba.
    AÉCIO NEVES 45, VAI SER O NOSSO PRÓXIMO PRESIDENTE.

    Curtir