Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A nova cara do Congresso

Na Câmara, a paisagem foi sensivelmente modificada. O povo resolveu votar em rostos novos e aposentou velhos políticos

Por Augusto Nunes Atualizado em 7 jan 2019, 08h44 - Publicado em 29 dez 2018, 10h07

Sempre que alguém se queixava da qualidade do Congresso ao deputado Ulisses Guimarães, ouvia a mesma advertência: “Se você está insatisfeito com esta legislatura, então espere a próxima”. A frase do doutor Ulisses pode ter sido revogada nas eleições de outubro. O próximo Congresso não será pior que o atual.

Na Câmara, a paisagem foi sensivelmente modificada. O povo resolveu votar em rostos novos e aposentou velhos políticos. Mas a mudança mais aguda ocorreu no Senado. Não foram reeleitos, por exemplo, Edison Lobão, Valdir Raupp, Romero Jucá, Eunício Oliveira, Roberto Requião, Lindberg Farias e Alfredo Nascimento.

Aécio Neves e Gleisi Hoffmann tiveram de contentar-se com uma vaga na Câmara. E não conseguiram uma vaga no novo Senado Eduardo Suplicy, Dilma Rousseff, Beto Richa e Jorge Viana. Anotem: pior do que está não vai ficar.

Continua após a publicidade

Publicidade