Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pitonisa de picadeiro

“Eu acho que o impeachment está morto. Apesar desses pequenos soluços, desses ‘revivals’, não tem base popular e um impeachment não acontece sem base popular. É como algo que morreu mas não foi enterrado. Continua fedendo, mas está morto”. Luís Inácio Adams, na última entrevista antes de deixar a chefia da Advocacia-Geral da União, sem […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 9 fev 2017, 12h12 - Publicado em 3 mar 2016, 19h09

“Eu acho que o impeachment está morto. Apesar desses pequenos soluços, desses ‘revivals’, não tem base popular e um impeachment não acontece sem base popular. É como algo que morreu mas não foi enterrado. Continua fedendo, mas está morto”.

Luís Inácio Adams, na última entrevista antes de deixar a chefia da Advocacia-Geral da União, sem saber que seria transformado em pitonisa de picadeiro pelas revelações de Delcídio Amaral.

Publicidade