Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Parceiros em tudo

“Nós somos parceiros do infortúnio”. João Paulo Cunha, condenado no julgamento do mensalão a 9 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro, em entrevista ao Estadão, sobre suas relações com José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, revelando que não são apenas parceiros de quadrilha.

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 05h20 - Publicado em 24 set 2013, 00h27

“Nós somos parceiros do infortúnio”.

João Paulo Cunha, condenado no julgamento do mensalão a 9 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro, em entrevista ao Estadão, sobre suas relações com José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, revelando que não são apenas parceiros de quadrilha.

Publicidade